sicnot

Perfil

Mundo

O estranho caso das crianças indianas que morreram após comerem líchias em jejum

© STR New / Reuters

Cientistas indianos e norte-americanos investigaram o que teria acontecido às mais de cem crianças que morreram depois de comerem líchias em jejum. Este caso não é recente, aconteceu há cerca de um ano, no norte da Índia, mas há mais de 20 anos que há relatos de crianças aparentemente saudáveis que perdem a consciência de modo repentino e até agora inexplicável.

A comunidade científica investigou e chegou à conclusão de que a explicação está na líchia, fruto produzido em abundância na região de Bihar, onde se têm registado estes casos, que na maioria das vezes têm culminado com a morte das crianças. Um novo estudo, publicado na revista The Lancet, avança com uma explicação - intoxicação devido ao consumo do fruto em jejum prolongado.

A maioria das vítimas são crianças pobres que ingeriram o fruto caído das árvores nos pomares. A líchia contém uma toxina que inibe a capacidade do organismo produzir glicose, o que afetou os níveis de açúcar em crianças que já registavam valores muito baixos por não terem comido ao final do dia.

Os relatos dão conta de que estas crianças acordaram aos gritos, a meio da noite, tiveram convulsões e perdas de consciência, ao mesmo tempo que sofriam um edema cerebral.

Os investigadores examinaram crianças que deram entrada com esses sintomas no hospital em Muzaffarpur, na região de Bihar, entre maio e julho de 2014, descobrindo um paralelismo com um caso registado nas Caraíbas, com crianças que também tiveram convulsões e inchaço dos tecidos cerebrais depois de comerem ackee, um fruto comum na zona.

Os investigadores concluíram que em ambos os casos, os frutos ingeridos produzem a mesma toxina que inibe a capacidade do organismo produzir glicose.

De acordo com a BBC, as conclusões deste estudo já levaram as autoridades de saúde indianas a alertarem os pais para a necessidade das crianças ingerirem uma refeição ao final do dia, bem como de limitar o consumo de líchias.

As crianças que apresentem os sintomas descritos deverão ser de imediato medicadas para a hipoglicémia ou baixos níveis de açúcar no sangue, aconselham também as autoridades.

Segundo o The New York Times, desde que foi divulgada esta recomendação, o número de casos de vítimas deste tipo de intoxicação diminuiu drasticamente.

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.