sicnot

Perfil

Mundo

O estranho caso das crianças indianas que morreram após comerem líchias em jejum

© STR New / Reuters

Cientistas indianos e norte-americanos investigaram o que teria acontecido às mais de cem crianças que morreram depois de comerem líchias em jejum. Este caso não é recente, aconteceu há cerca de um ano, no norte da Índia, mas há mais de 20 anos que há relatos de crianças aparentemente saudáveis que perdem a consciência de modo repentino e até agora inexplicável.

A comunidade científica investigou e chegou à conclusão de que a explicação está na líchia, fruto produzido em abundância na região de Bihar, onde se têm registado estes casos, que na maioria das vezes têm culminado com a morte das crianças. Um novo estudo, publicado na revista The Lancet, avança com uma explicação - intoxicação devido ao consumo do fruto em jejum prolongado.

A maioria das vítimas são crianças pobres que ingeriram o fruto caído das árvores nos pomares. A líchia contém uma toxina que inibe a capacidade do organismo produzir glicose, o que afetou os níveis de açúcar em crianças que já registavam valores muito baixos por não terem comido ao final do dia.

Os relatos dão conta de que estas crianças acordaram aos gritos, a meio da noite, tiveram convulsões e perdas de consciência, ao mesmo tempo que sofriam um edema cerebral.

Os investigadores examinaram crianças que deram entrada com esses sintomas no hospital em Muzaffarpur, na região de Bihar, entre maio e julho de 2014, descobrindo um paralelismo com um caso registado nas Caraíbas, com crianças que também tiveram convulsões e inchaço dos tecidos cerebrais depois de comerem ackee, um fruto comum na zona.

Os investigadores concluíram que em ambos os casos, os frutos ingeridos produzem a mesma toxina que inibe a capacidade do organismo produzir glicose.

De acordo com a BBC, as conclusões deste estudo já levaram as autoridades de saúde indianas a alertarem os pais para a necessidade das crianças ingerirem uma refeição ao final do dia, bem como de limitar o consumo de líchias.

As crianças que apresentem os sintomas descritos deverão ser de imediato medicadas para a hipoglicémia ou baixos níveis de açúcar no sangue, aconselham também as autoridades.

Segundo o The New York Times, desde que foi divulgada esta recomendação, o número de casos de vítimas deste tipo de intoxicação diminuiu drasticamente.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.