sicnot

Perfil

Mundo

Monge budista escondia 4 milhões de comprimidos de metanfetamina no mosteiro

© Olivia Harris / Reuters

Um monge budista birmanês foi detido no domingo porque tinha no carro 400 mil comprimidos de metanfetamina. Mas a polícia quis ir mais longe na investigação e fez uma busca ao mosteiro, descobrindo objetos pouco religiosos na cela do monge.

Eram 4,2 milhões de comprimidos da droga sintética cuidadosamente escondidos na cela do mosteiro em Maungdaw, no noroeste de Myanmar, antiga Birmânia, anunciou a polícia esta segunda-feira. No total, foram apreendidos 4,6 milhões de comprimidos.

Segundo os media locais, este homem é o primeiro monge a ser detido por posse de droga neste país, placa giratória de tráfico de droga naquele lado do mundo. Não será no entanto o único a fazer tráfico de droga.

Só no ano passado foram interceptados 98 milhões de comprimidos de metanfetamina contra os 50 milhões apreendidos em 2015.

A região do "Triângulo Dourado" - que compreende o Laos, a Tailândia e Myanmar - era o principal local de produção de ópio e de heroína, destronado mais tarde pelo Afeganistão.

As apreensões de metanfetaminas na Ásia-Pacífico quadruplicaram em cinco anos e a ONU tem dados que confirmam que as drogas sintéticas têm cada vez mais utilizadores nesta região.

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.