sicnot

Perfil

Mundo

Vice-presidente dos EUA lidera comissão para investigar fraude eleitoral

MICHAEL REYNOLDS

Donald Trump disse este domingo que está a criar uma comissão liderada pelo vice-presidente, Mike Pence, para investigar o que o líder norte-americano alega ter sido uma grande fraude eleitoral nas eleições de 2016.

Nenhuma prova foi apresentada publicamente do voto ilícito em larga escala nas eleições de novembro, e Donald Trump e a Casa Branca não conseguiram fundamentar estas alegações do Presidente.

Contudo, Trump falou nas formas em que acreditava que a fraude eleitoral tinha ocorrido durante uma entrevista com Bill O'Reilly, da Fox News, que foi difundida antes da Super Bowl (a final do campeonato de futebol americano) no domingo.

"Quando olhas para os registos e vês pessoas mortas que votaram, quando vês pessoas que estão registadas em dois estados e que votaram nos dois estados, quando vês outras coisas, quando vês ilegais - pessoas que não são cidadãos - e que figuram nos registos (...) Isto é mesmo uma situação má. É mesmo mau", disse Trump.

Os próprios advogados de Trump declararam em documentos legais que não havia provas de fraude nas eleições de 8 de novembro.

Mas no domingo, o Presidente prometeu "criar uma comissão dirigida pelo vice-presidente Mike Pence". "Vamos analisar isto muito, muito cuidadosamente", disse.

Trump disse anteriormente que, se não fossem os votos dos imigrantes ilegais, ele teria conquistado não apenas o colégio eleitoral, mas também o voto popular, que foi vencido pela democrata Hillary Clinton.

Embora não haja provas de fraude eleitoral em massa, as autoridades dos EUA disseram acreditar que a Rússia tentou intrometer-se na votação presidencial ao piratear as contas de e-mails do Partido Democrata como parte de uma campanha pró-Trump.

Os senadores lançaram uma investigação bipartidária sobre a alegada intromissão da Rússia.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa. A Direção-Geral de Saúde vai divulgar ainda esta terça-feira as normas de orientação clínica para que os médicos possam lidar da melhor maneira com este surto.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Incêndio num estádio em Xangai destrói parte da bancada

    Mundo

    O Estádio Hongkou da equipa chinesa Shanghai Shenhua foi atingido esta terça-feira por um incêndio que acabou por danificar parte da bancada e algumas salas no interior da infraestrutura. Para o local, foi enviada uma equipa de bombeiros que conseguiu controlar as chamas.