sicnot

Perfil

Mundo

Vice-presidente dos EUA lidera comissão para investigar fraude eleitoral

MICHAEL REYNOLDS

Donald Trump disse este domingo que está a criar uma comissão liderada pelo vice-presidente, Mike Pence, para investigar o que o líder norte-americano alega ter sido uma grande fraude eleitoral nas eleições de 2016.

Nenhuma prova foi apresentada publicamente do voto ilícito em larga escala nas eleições de novembro, e Donald Trump e a Casa Branca não conseguiram fundamentar estas alegações do Presidente.

Contudo, Trump falou nas formas em que acreditava que a fraude eleitoral tinha ocorrido durante uma entrevista com Bill O'Reilly, da Fox News, que foi difundida antes da Super Bowl (a final do campeonato de futebol americano) no domingo.

"Quando olhas para os registos e vês pessoas mortas que votaram, quando vês pessoas que estão registadas em dois estados e que votaram nos dois estados, quando vês outras coisas, quando vês ilegais - pessoas que não são cidadãos - e que figuram nos registos (...) Isto é mesmo uma situação má. É mesmo mau", disse Trump.

Os próprios advogados de Trump declararam em documentos legais que não havia provas de fraude nas eleições de 8 de novembro.

Mas no domingo, o Presidente prometeu "criar uma comissão dirigida pelo vice-presidente Mike Pence". "Vamos analisar isto muito, muito cuidadosamente", disse.

Trump disse anteriormente que, se não fossem os votos dos imigrantes ilegais, ele teria conquistado não apenas o colégio eleitoral, mas também o voto popular, que foi vencido pela democrata Hillary Clinton.

Embora não haja provas de fraude eleitoral em massa, as autoridades dos EUA disseram acreditar que a Rússia tentou intrometer-se na votação presidencial ao piratear as contas de e-mails do Partido Democrata como parte de uma campanha pró-Trump.

Os senadores lançaram uma investigação bipartidária sobre a alegada intromissão da Rússia.

Lusa

  • DIRETO: Portuguesa entre os 14 mortos dos atentados na Catalunha

    Ataque em Barcelona

    Uma das 13 vítimas mortais do atentado de ontem em Barcelona é de Lisboa e há uma outra portuguesa, a sua neta, desaparecida. Esta madrugada em Cambrils, cinco suspeitos foram abatidos e outra pessoa acabou por morrer, num segundo ataque. Há quatro detenções confirmadas. Siga aqui as últimas informações, ao minuto.

    Em atualização

  • Autoridades acreditam que suspeito do ataque nas Ramblas pertence a célula terrorista
    1:36
  • O momento em que os suspeitos foram abatidos em Cambrils
    2:35
  • Nível de ameaça terrorista em Portugal continua moderado
    1:31

    Ataque em Barcelona

    O primeiro-ministro garantiu hoje que, para já, o nível de ameaça terrorista em Portugal não vai ser alterado (o nível está no 4 em 5). Já o Presidente da República disse que não há tolerância possível e garante que há medidas preparadas caso o mesmo cenário venha a acontecer em Portugal.

  • Vento e calor provocam reacendimentos em Mação
    1:55
  • Ágata candidata-se à Câmara de Castanheira de Pera
    3:42