sicnot

Perfil

Mundo

Bola recuperada do vaivém Challenger levada para órbita

NASA

Uma bola de futebol que estava no vaivém Challenger que explodiu há 30 anos foi levada para órbita pelo atual comandante da Estação Espacial Internacional.

O astronauta da NASA Shane Kimbrough, comandante da tripulação 50 da estação, publicou no Twitter a 3 de fevereiro uma fotografia de uma bola de futebol a flutuar junto à janela do laboratório espacial Cupola. A publicação surgiu poucos dias após o aniversário da explosão do vaivém Challenger, a 28 de janeiro de 1986.

"Esta bola estava no Challenger naquele dia fatídico", escreveu Kimbrough. "Levada a bordo por Ellison Onizuka em honra da sua filha, jogadora de futebol".

Janelle Onizuka tinha 16 anos no dia do desastre. A referência final do tweet Clear_LakeHS diz respeito à escola secundária que Janelle frequentava na altura e onde anda agora o filho de Kimbrough, igualmente jogador de futebol.

O vaivém Challenger partiu a 28 de janeiro de 1986 do Centro Espacial Kennedy. Explodiu 73 segundos após a partida, devido a uma falha num motor impulsionador.

Seis astronautas da NASA morreram: o comandante Dick Scobee, o piloto Michael Smith, os especialistas da missão Ron McNair e Judy Resnik, o especialista de de carga Gregory Jarvis e Christa McAuliffe - que teria sido a primeira professora no espaço.

O astronauta Ellison Onizuka (1946-1986)

O astronauta Ellison Onizuka (1946-1986)

NASA

Vários objetos foram encontrados a boiar na água quando os destroços do Challenger foram recuperados, como a bola de futebol e uma bandeira dos EUA.

Depois de completada a investigação ao acidente, os destroços do vaivém foram colocados em armazéns de Cabo Canaveral e os objetos pessoais entregues às famílias dos astronautas. Mais tarde, a família Onizuka ofereceu a bola de futebol à escola Clear Lake High School.

"Obrigada Shane Kimbrough por ter ajudado um pedaço de história da escola a concluir a sua missão espacial", escreveu no Twitter a escola Clear Lake High School.

  • Aviação russa matou mais de 11 mil pessoas na Síria

    Mundo

    Pelo menos 11.612 pessoas morreram na Síria em resultado dos bombardeamentos da aviação russa, aliada do Governo de Damasco, iniciados em 30 de setembro de 2015, de acordo com dados publicados hoje pelo Observatório Sírio dos Direitos Humanos.

  • Mais de 500 casos de sarampo na Europa este ano, avisa OMS

    Mundo

    Mais de 500 casos de sarampo foram reportados só este ano na Europa, afetando pelo menos sete países, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS). Em Portugal, a OMS reconheceu oficialmente a eliminação do vírus do sarampo no verão do ano passado.