sicnot

Perfil

Mundo

Dinamarca quer que UE apoie organizações afetadas por medida contra aborto de Trump

A Dinamarca propôs hoje que a União Europeia (UE) reúna fundos para apoiar as organizações internacionais que realizam abortos ou dão informação sobre essa opção, na sequência da interdição de Donald Trump ao financiamento de ONG internacionais que apoiam o aborto.

Três dias depois de ter tomado posse, Trump reintroduziu nos Estados Unidos a proibição de financiamento público de organizações internacionais que realizam abortos ou dão informação sobre o processo de interrupção voluntária da gravidez.

A ministra para a Ajuda ao Desenvolvimento dinamarquesa, Ulla Toernaes, disse hoje que é precisa "uma aliança de países europeus com interesses semelhantes" e apelou à UE para apoiar estas organizações afetadas pela medida legislativa da administração Trump.

Nesse sentido, a ministra anunciou que a Dinamarca (Estado-membro da UE desde 1973) vai avançar com um montante extra de 75 milhões de coroas dinamarquesas (cerca de 11 milhões de dólares ou 10,3 milhões de euros) para apoiar tais organizações.

"Esperamos poder reduzir o número de gravidezes não desejadas, de abortos inseguros e de mortes relacionadas com a gravidez e o parto", referiu Ulla Toernaes, citada pela agência noticiosa norte-americana Associated Press (AP).

Não foram divulgados até ao momento os países eventualmente associados a esta proposta dinamarquesa.

Também não foi clarificado se este apelo vai ao encontro de uma recente proposta do governo da Holanda que, no mês passado, anunciou a criação de um fundo internacional para financiar o acesso ao controlo de natalidade, aborto e educação sexual para mulheres em países em desenvolvimento.

No site, o governo da Holanda afirma: "Não podemos desiludir as mulheres e as raparigas. Elas devem ter o direito de decidir se querem ter filhos, quando querem ter filhos e com quem querem ter filhos".

Na altura, o executivo holandês afirmou que a decisão de Donald Trump deixa um vazio de 600 milhões de euros de apoio financeiro e defendeu que é preciso colmatar tal falha com donativos de cidadãos anónimos, de empresas, organizações ou outras entidades governamentais.

Nessa ocasião, o Canadá fez saber que pretendia contribuir financeiramente para este fundo.

Trump assinou o diploma contra o aborto um dia após o aniversário, a 22 de janeiro, da decisão de 1973 do Supremo Tribunal Roe vs. Wade, que legalizou o aborto nos Estados Unidos.

A ordem executiva de Trump também proíbe o financiamento, com o dinheiro dos contribuintes, de grupos de pressão que pretendem legalizar o aborto ou promovê-lo como método de planeamento familiar.

Esta disposição legal sobre o aborto tem estado no centro de uma espécie de 'ping-pong' político nos Estados Unidos durante as últimas três décadas, tendo sido imposta pelos governos republicanos e revogada pelos democratas desde 1984.

Mais recentemente, foi o antecessor de Trump, Barack Obama, quem pôs fim à proibição em 2009.

De acordo com a associação Marie Stopes, a proibição de financiamento nos Estados Unidos vai resultar no aparecimento de cerca de 6,5 milhões de gravidezes indesejadas e 2,2 milhões de abortos sem condições.

Lusa

  • DJ Avicii morre aos 28 anos

    Cultura

    Tim Bergling, conhecido por Avicii e um dos mais famosos DJ's do mundo, morreu aos 28 anos. A notícia foi avançada pelo site TMZ, que adianta que o DJ e produtor sueco foi encontrado morto esta sexta-feira em Muscat, em Omã, e os detalhes da morte ainda não são conhecidos.

    SIC

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59