sicnot

Perfil

Mundo

Eventual secretário do Trabalho da administração Trump reconhece ter contratado imigrante ilegal

© Fred Prouser / Reuters

O eventual secretário do Trabalho da nova administração norte-americana, o empresário Andrew Puzder, reconheceu esta terça-feira ter contratado uma imigrante ilegal como governanta, situação que poderá complicar em muito a sua confirmação no Senado.

Um porta-voz do empresário de restaurantes de 'fast-food' declarou entretanto que Andrew Puzder continua empenhado em liderar o Departamento do Trabalho, estrutura do governo federal que supervisiona as leis laborais nos Estados Unidos.

Num comunicado, o empresário informou hoje que ele e a sua mulher não sabiam que a governanta não estava legalmente autorizada para trabalhar nos Estados Unidos durante os vários anos em que esteve contratada.

"Quando tivemos conhecimento da sua situação, imediatamente cancelámos o contrato e oferecemo-nos para a ajudar a obter o estatuto legal", disse Andrew Puzder, garantindo ainda ter pago todos os impostos ao Estado da Califórnia, bem como ter entregado toda a documentação necessária.

Esta situação torna-se incómoda a partir do momento em que o Presidente norte-americano, Donald Trump, defende uma política que privilegia o trabalho americano.

O mesmo empresário já tinha reconhecido que o seu grupo, a CKE Restaurants, contratava serviços na área da tecnologia de uma empresa nas Filipinas, uma prática também fortemente contestada pela administração de Trump.

O novo Presidente americano criticou e ameaçou com elevadas taxas as grandes empresas, como foi o caso de vários fabricantes automóveis, que tencionavam sair do território americano ou recuar com os respetivos investimentos naquele país

.A confirmação de Andrew Puzder no Senado (câmara alta do Congresso norte-americano) não está a ser fácil. Alegando a falta de requisitos éticos e de documentação, a comissão responsável pela confirmação decidiu adiar a audição de Puzder, sem avançar uma possível data para um reagendamento.

"O que ouvimos são histórias sobre como ele passou a sua carreira a explorar trabalhadores para obter lucro, deixando muitos com salários atrasados, sem segurança financeira e sem reforma", afirmou a senadora democrata de Washington Patty Murray, que integra a comissão responsável pela audição do empresário.

Lusa

  • "Às vezes o senhor primeiro-ministro irrita-me um bocadinho"
    2:05

    País

    O Presidente da República disse esta quinta-feira de manhã que António Costa é "irritantemente otimista" por teimar em "ver violeta-rosa onde há roxo". Marcelo Rebelo de Sousa recordou ainda Mário Soares numa aula no Colégio Moderno, em Lisboa.

  • Montenegro nunca será candidato contra Passos
    0:50
  • Cientistas testam útero artificial em cordeiros prematuros

    Mundo

    Um grupo de cientistas desenvolveu um útero artificial - o Biobag - que se assemelha a uma bolsa de plástico e que ajuda no desenvolvimento de cordeiros prematuros. O método foi testado nestes animais mas os cientistas do Hospital Pediátrico de Filadélfia, nos Estados Unidos, garantem que poderá vir a ser utilizado também em bebés que nascem prematuros.

  • Exame ao sangue descobre cancro um ano antes do reaparecimento

    Mundo

    Uma equipa de investigadores britânicos descobriu uma maneira de identificar o regresso do cancro, com um ano de antecedência. Através de um exame ao sangue, a equipa conseguiu identificar os primeiros sinais da doença, uma série de células invisíveis ao raio-X e à TAC. A descoberta pode vir a permitir tratar o cancro mais cedo e, como resultado, poderá aumentar as chances de o curar.

  • Casados há 69 anos, morrem de mãos dadas com 40 minutos de diferença

    Mundo

    Isaac Vatkin, de 91 anos, morreu cerca de 40 minutos depois de Teresa, de 89 anos, no passado sábado no Highland Park Hospital, no estado norte-americano Ilinóis. "Não queríamos que fossem embora, mas não podíamos pedir que partíssem de melhor maneira", afirmou o neto William Vatkin. O casal morreu no hospital poucos dias depois de celebrarem 69 anos de casados.

  • Trump cria linha de apoio a vítimas de "extraterrestres criminosos"

    Mundo

    Quando o Governo norte-americano usa o termo "extraterrestre criminoso", refere-se a alguém que não é cidadão dos Estados Unidos da América e que foi condenado por um crime. Quando a mesma expressão é usada pelos utilizadores do Twitter, o significado é completamente diferente. Os internautas pensam na série Ficheiros Secretos e em discos voadores. Por isso, o lançamento de uma linha telefónica, por parte da Casa Branca, para as vítimas de "extraterrestres criminosos" só podia dar em confusão.