sicnot

Perfil

Mundo

Melania Trump volta a processar imprensa por notícias sobre o seu passado

© Carlos Barria / Reuters

A mulher do Presidente norte-americano, Melania Trump, voltou a processar um jornal britânico por notícias que davam conta que ela teria trabalhado como acompanhante de luxo na década de 1990, divulgou esta terça-feira uma fonte próxima da primeira-dama.

Melania Trump, uma ex-modelo oriunda da Eslovénia, voltou a exigir ao grupo Mail Media, que publica o jornal britânico Daily Mail, 150 milhões de dólares (cerca de 104 milhões de euros) em compensação pelos danos causados.

Furiosa com tais alegações "maliciosas e prejudiciais" publicadas durante a campanha presidencial, Melania Trump já tinha apresentado um processo por difamação em setembro de 2016 num tribunal do Estado do Maryland.

Os processos por difamação visaram então o jornal Daily Mail, mas também Webster Tarpley, autor de um blogue em Maryland (leste dos Estados Unidos).A queixa contra o britânico Daily Mail seria rejeitada por razões de competência geográfica.

O advogado de Melania Trump decidiu avançar com este processo num tribunal de Nova Iorque.

O processo relacionado com o 'blogger' Webster Tarpley prosseguiu nos habituais trâmites legais e terminou com uma vitória de Melania Trump, após um acordo negociado entre as partes, referiu hoje o advogado da queixosa em declarações à agência noticiosa francesa AFP.

Webster Tarpley aceitou pagar à atual primeira-dama dos Estados Unidos uma "quantia substancial" por ter publicado uma história falsa sobre o alegado passado de acompanhante de luxo da ex-modelo eslovena, precisou o advogado Charles Harder, sem precisar o montante envolvido.

O 'blogger' também reconheceu o erro num comunicado enviado à AFP pelo advogado de Melania Trump.

"Publiquei a 02 de agosto de 2016 um artigo sobre Melania Trump que estava cheio de informações falsas e difamatórias", admitiu Tarpley.

"Reconheço que tais afirmações foram muito ofensivas e prejudiciais para Melania Trump e a sua família e, portanto, peço as minhas sinceras desculpas a Melania Trump, ao seu filho, ao seu marido e aos seus pais", acrescentou.

Melania Trump é 24 anos mais nova do que Donald Trump e é a terceira mulher do atual Presidente dos Estados Unidos. Juntos têm um filho, Barron, de 10 anos.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.