sicnot

Perfil

Mundo

Polícia espanhola investiga furto de 30 mil euros em joias na gala dos Goya

© Regis Duvignau / Reuters

A polícia espanhola está a investigar o roubo de várias peças de joalharia avaliadas em 30 mil euros, furtadas no sábado de um quarto do hotel Marriott Auditorium de Madrid, onde decorreu a gala dos prémios de cinema Goya.

Fontes da polícia de Madrid confirmaram o furto reportado hoje por diversos media, estando os investigadores a analisar as imagens das câmaras de segurança do hotel, donde desapareceu uma caixa com anéis, pendentes, relógios e botões de punho que a joalharia Suárez emprestou para a cerimónia de gala dos prémios da Academia de Cinema espanhola.

Segundo a queixa apresentada pelo chefe da segurança do hotel e o chefe da produção da 31.ª edição dos prémios Goya, a caixa com as joias encontrava-se num dos quartos do hotel onde estavam guardados outros elementos usados na cerimónia, pelo que inúmeras pessoas entraram e saíram do espaço.

De facto, só na segunda-feira - a gala realizou-se na noite de sábado - é que os funcionários deram conta do furto quando começaram a organizar a devolução às marcas de joias que emprestaram peças para os apresentadores e convidados da cerimónia.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.