sicnot

Perfil

Mundo

Presidente do Haiti toma posse após crise eleitoral de quase dois anos

© Andres Martinez Casares / Reu

Jovenel Moise tomou posse esta terça-feira como Presidente do Haiti, após uma crise eleitoral de quase dois anos que paralisou a vida política do país, e vai enfrentar uma economia em dificuldades e uma sociedade dividida.

O empresário, de 48 anos, inicia a sua carreira política num dos mais altos cargos da nação, tornando-se o 58.º Presidente do país mais pobre das Caraíbas.

Jovenel Moise entrou na cena política em 2015 impulsionado por Michel Martelly, eleito Presidente em 2011.

O novo Presidente venceu a primeira volta das Presidenciais em outubro de 2015, mas devido a contestação e fraudes em massa a votação foi anulada.

Foi eleito chefe de Estado em novembro de 2016, depois do escrutínio ter sido reprogramado após a passagem do furacão Matthew pela ilha, tendo a Presidência sido assegurada interinamente pelo presidente do Senado, Jocelerme Privert.

Moise pretende apostar na agricultura para relançar a economia. O Haiti tem uma dívida de dois mil milhões de dólares (1.871 milhões de euros) e o crescimento não deve ultrapassar 1% em 2017.

O Presidente anunciou ter convidado para a tomada de posse os outros 53 candidatos às presidenciais como sinal da sua vontade de apaziguar o clima político, mas a sua vitória à primeira volta continua a ser contestada pelos seus principais rivais.

Moise foi declarado vencedor com 55% dos votos, mas apenas 21% dos eleitores votaram no passado dia 20 de novembro.

Além disso, persistem dúvidas em relação a Moise sobre um possível caso de branqueamento de dinheiro.

O procurador-geral tem em mãos um relatório sobre o caso, podendo decidir não processar, pedir novas investigações ou acusar o presidente.

Por outro lado, a administração de Moise beneficiará de uma maioria no parlamento e prevê-se que o Presidente nomeie o seu primeiro-ministro nos próximos dias.

Lusa

  • Manifestação contra resultados do partido alemão de Extrema-Direita
    0:39