sicnot

Perfil

Mundo

Quem pedir visto para os EUA pode ter de entregar palavras-passe de redes sociais

© Pawel Kopczynski / Reuters

As embaixadas dos EUA podem vir a pedir as palavras-passe das contas das redes sociais das pessoas que lhes solicitarem um visto, para fazerem inspeções mais profundas, afirmou esta terça-feira o secretário da Segurança Interna, John Kelly.

Esta medida pretende reforçar os controlos prévios dos visitantes e eliminar os que poderiam constituir uma ameaça à segurança, o que Donald Trump qualificou de "verificação extrema".

Particularmente visados são os naturais dos sete países de maioria muçulmana -- Irão, Síria, Líbia, Iraque, Somália, Sudão e Iémen --, cujos processos de controlo são muito fracos, segundo Kelly.

A entrada dos provenientes destes países e de todos os refugiados foi interditada temporariamente em 27 de janeiro pelo Presidente Donald Trump num decreto contestado depois na justiça.

"Queremos ter a possibilidade de consultar as suas redes sociais, com as palavras-passe", declarou Kelly, durante uma audição perante a comissão da Câmara dos Representantes sobre a Segurança Interna.

"É muito difícil fazer controlos verdadeiros nestes países, nos sete países (...). Mas se vierem [para os EUA] , queremos poder dizer que sítios na internet visitam e que nos deem as suas palavras-passe para que saibamos o que fazem na internet", avançou.

John Kelly sublinhou que nenhuma decisão não tinha sido tomada ainda a este respeito, mas que estes controlos reforçados seriam certamente aplicados no futuro, mesmo que isto signifique prazos mais longos para a atribuição dos vistos.

"Se quiserem verdadeiramente vir para a América, vão cooperar. Senão, [que venha o] seguinte", concluiu.

Lusa

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".