sicnot

Perfil

Mundo

Rússia faz guerra à Internet encarcerando utilizadores, diz grupo de advogados

Um proeminente grupo de advogados russo especializado em direitos cívicos alertou hoje que os utilizadores da Internet estão a ser punidos em tribunal com penas de prisão severas por publicarem 'posts' expressando opiniões políticas.

"As autoridades russas começaram a ver a Internet como um teatro de guerra, tanto no interior do país como fora dele", onde a mais leve crítica é "encarada como um ataque armado", indicou o grupo num relatório hoje apresentado em Moscovo.

O Ágora reúne cerca de 50 advogados especializados em casos de direitos cívicos, entre os quais o da banda punk Pussy Riot e o do artista de 'performances' radicais Pyotr Pavlensky.

Segundo o coletivo, a política do Estado quanto à Internet de língua russa -- conhecida como 'Runet' -- pode resumir-se com as palavras "ataque", "campanha" e "inimigos".

O Governo russo também está preocupado com a ameaça externa, com os serviços de segurança FSB afirmando ter impedido 70 milhões de ciberataques no ano passado, referiu o Ágora, questionando o elevado número.

O grupo de juristas condenou "a forte censura" na internet e a crescente pressão sobre os internautas comuns, precisando ter registado sete casos criminais abertos contra cidadãos russos por expressarem as suas opiniões 'online' em 2016, cinco dos quais terminaram em condenação, quatro deles a penas de prisão efetiva.

Os advogados russos apontaram como exemplo o caso do jornalista e 'blogger' Alexei Kungurov, da cidade de Tyumen, nos Urais, que foi condenado a dois anos de prisão por um tribunal militar por críticas publicadas 'online' à campanha de bombardeamentos da Rússia na Síria.

Em dezembro do ano passado, Kungurov foi considerado culpado de justificar publicamente o terrorismo num 'post' na página do Live Journal na Internet.

Em maio do ano passado, Andrei Bubeyev, um engenheiro eletrotécnico da cidade de Tver, no centro do país, foi condenado a dois anos e três meses numa colónia penal, depois de considerado culpado de apoio a atividades extremistas e violações da integridade territorial da Rússia por ter partilhado um artigo pró-ucraniano e a imagem de um tubo de pasta de dentes com a legenda: "Espremam a Rússia para fora de vós mesmos".

"Tudo isto nos permite chegar a uma única conclusão: a Runet entrou num estado de lei marcial", lê-se no relatório.

No ano passado, o Ágora disse ter contabilizado 97 propostas de políticos e autoridades para reforçar o controlo sobre a Internet.

Diversas estimativas situam o número de utilizadores da Internet ativos na Rússia entre 66 e 84 milhões de pessoas, numa população total de 146 milhões, indicou o grupo.

Lusa

  • Francês detido em Antuérpia "queria matar"

    Mundo

    O Presidente de França François Hollande afirmou que o francês detido esta quinta-feira por conduzir um automóvel a grande velocidade na principal rua pedonal de Antuérpia, na Bélgica, "queria matar" ou "provocar um acontecimento dramático".

  • Mais de 20 milhões estão a morrer à fome em África

    Mundo

    África enfrenta a maior crise desde 1945, com mais de 20 milhões de pessoas a morrer de fome em três países, Sudão do Sul, Somália e Nigéria, disse esta quinta-feira um responsável do Programa Alimentar Mundial das Nações Unidas.

  • Menina "rouba" chapéu ao Papa
    0:27

    Mundo

    Estella Westrick tem apenas três anos, mas já conseguiu chegar aos jornais de todo o mundo, depois de "roubar" o chapéu do Papa. Durante uma visita da família na quarta-feira ao Vaticano, a criança - que não parece estar muito contente no vídeo - foi pegada ao colo por um dos funcionários do Vaticano, que a levou depois até ao Papa para receber dois beijos. Nesta altura, Estella aproveitou para tirar o solidéu episcopal, arrancando gargalhadas de toda a gente, especialmente do Papa Francisco.

  • Jovem violada em direto no Facebook não se sente em segurança

    Mundo

    A jovem de 15 anos que foi abusada sexualmente por cinco ou seis homens durante um vídeo em direto para o Facebook está a receber tratamento. A mãe da jovem deu uma entrevista, na qual disse que a filha já não se sente em segurança na sua vizinhança, depois de receber ameaças na internet.

  • Letizia, uma rainha da nova geração
    2:01