sicnot

Perfil

Mundo

Chumbada moção de censura contra o Governo da Roménia

Uma moção de censura contra o Governo social-democrata da Roménia foi hoje chumbada no parlamento, três dias depois da retirada do polémico decreto que despenalizava certos casos de corrupção e motivou os maiores protestos em décadas.

A moção, apresentada pela oposição de centro-direita, foi chumbada devido à maioria absoluta dos partidos no Governo, o Partido Social-Democrata (PSD) e a Aliança dos Liberais e Democratas pela Europa (ALDE), cujos deputados abandonaram o plenário para não votarem.

Para ser aprovada, a moção precisava de 233 votos favoráveis, mas ficou-se pelos 161 votos a favor e oito contra.

"Temos o dever, em face da confiança popular, de continuar a assumir o Governo deste país", afirmou o primeiro-ministro, Sorin Grindeanu, antes da votação.

"Mais do que o programa do Governo, não podemos ignorar os acontecimentos", acrescentou, referindo-se aos protestos, os maiores desde o fim do regime comunista, em 1989.

O decreto revogado previa a despenalização dos casos de corrupção envolvendo valores abaixo dos 44.000 euros, o que permitia a vários políticos escapar à justiça, como o atual líder do PSD, Liviu Dragnea, que foi impedido de se candidatar por ter sido condenado por fraude e estar a ser julgado por abuso de poder.Apesar de o decreto ter sido revogado no domingo, os protestos continuaram, com alguns dos manifestantes a exigir a demissão do Governo, no poder há pouco mais de um mês.

Os protestos criaram um conflito entre o Governo e o Presidente, Klaus Iohannis, que num discurso no parlamento na terça-feira sugeriu que o Governo devia demitir-se.

"A revogação do decreto e a possível demissão de um ministro não são suficientes. Convocar eleições antecipadas é demasiado", disse.

"Se o PSD, que criou esta crise, não conseguir resolvê-la imediatamente, chamarei todos os partidos para consultas. Ganharam. Venceram [as eleições] , agora governem e legislem, mas não a qualquer preço", advertiu o Presidente.

Lusa


  • Governo vai avaliar situação da associação Raríssimas
    1:41

    País

    O Governo promete avaliar a situação da instituição Raríssimas e agir em conformidade, depois da denúncia de alegadas irregularidades na gestão financeira. A presidente da instituição terá usado dinheiro da Raríssimas para gastos pessoais como vestidos de alta-costura e alimentação. Esta é uma instituição que apoia doentes e famílias que convivem de perto com doenças raras. 

  • Diáconos permanentes: quem são e que cargo ocupam na comunidade católica
    10:04
  • Múmia quase intacta descoberta em Luxor
    1:23

    Mundo

    O Egito anunciou, este sábado, a descoberta de dois pequenos túmulos com 3.500 anos na cidade de Luxor. Foram também encontrados uma múmia em bom estado de conservação, uma estátua do deus Ámon Ra e centenas de artefactos de madeira e cerâmica ou pinturas intactas.