sicnot

Perfil

Mundo

Diretor da CIA vai debater na Turquia tentativa de golpe de Estado no país

Diretor da CIA, Mike Pompeo.

© Jonathan Ernst / Reuters

O diretor da CIA, Mike Pompeo, vai visitar a Turquia na quinta-feira onde vai discutir com as autoridades de Ancara questões ligadas à segurança, incluindo a tentativa de golpe de Estado do ano passado, no país.

Trata-se da primeira visita de Mike Pompeo a um país estrangeiro desde que assumiu o cargo de diretor da CIA.


As autoridades turcas acusam Fetthullah Gullen, exilado nos Estados Unidos de ter orquestrado o golpe de Estado falhado, em 2016, e exige a extradição do líder religioso turco.


Segundo a Associated Press, a visita de Pompeo foi decidida depois de um contacto telefónico, de 45 minutos, entre o novo presidente dos Estados Unidos, Donald Trump e o chefe de Estado Turco, Recep Tayyip Erdogan, na terça-feira.


De acordo com fontes oficiais norte-americanas que pediram para não serem identificadas, o diretor dos serviços de informações dos Estados Unidos (CIA) vai também abordar com as autoridades turcas questões relacionadas com os curdos financiados pelos norte-americanos e que combatem na Síria.
Para o governo de Ancara, os combatentes curdos apoiados pelos Estados Unidos são considerados terroristas.


As ligações entre os países da Aliança Atlântica e a Turquia foram afetadas durante a administração Obama devido à relutância de Washington em relação à extradição de Gulen e pela manutenção do apoio aos grupos curdos que combatem extremistas islâmicos no norte da Síria.


Ancara já expressou que aguarda "mudanças" por parte dos Estados Unidos após a nomeação de Donald Trump como presidente.


As mesmas fontes disseram que a conversa telefónica entre Trump e Erdogan "foi positiva e decorreu num quadro de bom ambiente".


Os dois líderes reafirmaram a "forte aliança" entre os dois países e abordaram também a necessidade do estabelecimento de zonas de segurança na Síria, assuntos relacionados com refugiados e a luta contra grupos terroristas.


O presidente dos Estados Unidos exprimiu o desejo de fortalecer as ligações entre Washington e Ancara, assim como garantiu cooperação em assuntos regionais turcos.


Erdogan pediu a Washington para "apoiar a Turquia" na luta contra o movimento de Gulen acrescentando que os Estados Unidos devem deixar apoiar os grupos curdos na Síria.


De acordo com as fontes da Associated Press, Trump e Erdogan concordaram em coordenar esforços no sentido da captura dos bastiões do grupo extremista Estado Islâmico em Al-Bab e Raqqa, no norte da Síria.

Lusa

  • Partidos exigem explicações sobre transferências para offshores entre 2011 e 2014

    Economia

    O PS junta-se ao PCP, o Bloco de Esquerda e o PSD no pedido para a audição urgente do antigo e o atual secretário de Estado dos Assuntos Fiscais sobre a falta de controlo do Fisco às transferências de dinheiro para paraísos fiscais. Em causa está a transferência de 10 mil milhões de euros para offshores. O CSD é o único partido que ainda não se pronunciou.