sicnot

Perfil

Mundo

Maioria dos europeus a favor do bloqueio à imigração de muçulmanos

© Marko Djurica / Reuters

A maioria dos europeus está a favor do bloqueio à imigração de muçulmanos, conclui um inquérito realizado a 10 mil pessoas de 10 países europeus. Portugal não foi incluído.

Perante a afirmação "Toda a migração proveniente de países muçulmanos deve ser travada", os inquiridos tinham de dizer em que medida concordavam.

Nestes 10 países europeus, 55% concordaram, 25% não concordaram nem discordaram, 20% discordaram.

Na Polónia, dos inquiridos, 71% disse ser a favor do bloqueio da imigração de muçulmanos. E os números são também reveladores em países como a Áustria com 65% a favor, 53% na Alemanha, 51% em Itália, 47% no Reino Unido e 41% em Espanha. Em nenhum dos países a percentagem dos que discordavam ultrapassou os 32%.

Este estudo foi realizado pelo Centro de Estudos Internacionais Chatham House antes da controversa ordem executiva anti-imigração de Donald Trump.

  • "Os governos são diferentes mas o povo é o mesmo"
    0:45

    Economia

    O Presidente da República atribui o resultado do défice do ano passado ao espírito de sacrifício do povo português. Num jantar em Coimbra para assinalar o Dia do Estudante, Marcelo Rebelo de Sousa considerou ainda que o valor do défice de 2016 é a prova de que com governos diferentes conseguem-se os mesmos objetivos.

  • Recuo na saúde é primeira derrota de peso para Donald Trump
    1:18

    Mundo

    O Presidente norte-americano sofreu esta sexta-feira uma derrota de peso. O líder da Câmara dos Representantes retirou a proposta do plano de saúde de Trump, que se preparava para um chumbo na câmara baixa do Congresso. Para já, mantém-se o Obamacare.

  • Pai do piloto da Germanwings defende inocência do filho

    Mundo

    O pai de Andreas Lubitz declarou esta sexta-feira que o filho não é o responsável pelo embate do avião da Germanwings contra um local montanhoso, que fez 150 mortos. O Ministério Público alemão concluiu em janeiro que o incidente em 2015 foi apenas da responsabilidade do piloto.