sicnot

Perfil

Mundo

Malawi critica Madonna por adotar crianças em vez de ajudar as famílias

Madonna com Mercy James em 2010

© Mike Hutchings / Reuters

Organizações de caridade do Malawi criticam a adoção de duas gémeas por Madonna, autorizada ontem. Dizem que a cantora norte-americana devia ter "uma abordagem diferente ajudando as famílias" e não "dar a impressão de que o Malawi é um mercado de crianças pobres prontas a serem adotadas".

Na terça-feira, a juíza do tribunal de Lilongwe autorizou a cantora adotar duas gémeas de quatro anos, Esther e Stella, de um orfanato em Mchinji.

Madonna já tinha adotado do mesmpo orfanato um menino, David Banda, em 2006, e uma menina em 2009, Mercy James. Em 2006, a cantora norte-americana criou a fundação Raising Malawi, para cuidar de órfãos deste país e construir hospitais.

Madonna e o filho David Banda em Nova Iorque em novembro de 2016

Madonna e o filho David Banda em Nova Iorque em novembro de 2016

Greg Allen / AP

"Ela deveria ter uma abordagem diferente, ajudando as famílias pobres com crianças ao invés de as adotar", disse à Agência France Press Maxwell Matewere, diretor da organização não-governamental "Eye of the Child".

"A maioria das famílias adoraria criar os seus filhos em casa se tivessem apoio financeiro", acrescentou.

Para Ken Mhango, o diretor no Malawi da Rede Africana para a Proteção e a Prevenção de Abuso Infantil (ANPPCAN), a cantora dá "a impressão que no Malawi há um mercado de crianças pobres prontas para serem adotadas".

De acordo com a decisão da justiça, consultada hoje pela AFP, Madonna sentiu-se na "obrigação" de adotar as duas gémeas.

De acordo com a juíza Fiona Mwale, que concedeu a permissão de adoção, o trabalho de Madonna nos orfanatos fê-la sentir "obrigada a preencher o vazio na vida" das crianças e "abrir a sua casa".

Mercy e David (atrás) numa visita ao Malawi em julho de 2016

Mercy e David (atrás) numa visita ao Malawi em julho de 2016

Thoko Chikondi / AP

  • Ronaldo é o jogador que mais preocupa os marroquinos
    2:35
  • Recorda-se de Tahar? O ex-futebolista marroquino que já jogou em Portugal
    6:10
  • "Somos 11 milhões, queremos ser campeões e as russas são grandes canhões"
    3:54
  • Denis Cheryshev: o orgulho dos anfitriões

    Mundial 2018 / Rússia

    O avançado Denis Cheryshev foi eleito o Homem do Jogo entre Rússia e Egito, que os russos venceram por 3-1. Marcou o segundo golo dos anfitriões, o terceiro em nome próprio no Mundial e juntou-se a Cristiano Ronaldo no topo da lista de melhores marcadores. Aos 27 anos e a jogar o primeiro Mundial da carreira, Cheryshev continua a assumir-se como um dos principais rostos da esperança russa para o sucesso desta campanha. Depois de já ter sido o melhor em campo no triunfo sobre a Arábia Saudita, a nação anfitriã vê-o como uma espécie de porta-estandarte do orgulho russo na defesa da pátria.

  • Gato Achilles acerta no resultado do Rússia-Egito

    Desporto

    O gato Achilles é o adivinho dos jogos do Mundial na Rússia. Depois de ter acertado na vitória da Rússia frente à Arábia Saudita, o felino voltou a apostar na equipa certa, com os russos a vencerem esta terça-feira o Egipto por 3-1.

  • "Não tenho que debater nada com Bruno de Carvalho, só tenho que fazer cumprir os estatutos" 
    10:43
  • "Quando o Cristiano Ronaldo te convidar para almoçar, recusa"

    Desporto

    Na possibilidade de ser convidado por Cristiano Ronaldo para um almoço ou jantar, recuse. Este é o conselho de Patrice Evra, que revelou o "sofrimento" que passou quando aceitou almoçar em casa do capitão da seleção nacional, na altura em que ambos jogavam pelo Manchester United. O jogador francês falou sobre a comida "demasiado saudável" e o exercício que acabou por ter de fazer, enquanto podia estar a descansar.

    SIC

  • Ronaldo no País dos Sovietes: O espetáculo fora das quatro linhas
    2:30
  • "Quero ir com a minha tia", o desespero das crianças afastadas dos pais nos EUA
    2:11