sicnot

Perfil

Mundo

Malawi critica Madonna por adotar crianças em vez de ajudar as famílias

Madonna com Mercy James em 2010

© Mike Hutchings / Reuters

Organizações de caridade do Malawi criticam a adoção de duas gémeas por Madonna, autorizada ontem. Dizem que a cantora norte-americana devia ter "uma abordagem diferente ajudando as famílias" e não "dar a impressão de que o Malawi é um mercado de crianças pobres prontas a serem adotadas".

Na terça-feira, a juíza do tribunal de Lilongwe autorizou a cantora adotar duas gémeas de quatro anos, Esther e Stella, de um orfanato em Mchinji.

Madonna já tinha adotado do mesmpo orfanato um menino, David Banda, em 2006, e uma menina em 2009, Mercy James. Em 2006, a cantora norte-americana criou a fundação Raising Malawi, para cuidar de órfãos deste país e construir hospitais.

Madonna e o filho David Banda em Nova Iorque em novembro de 2016

Madonna e o filho David Banda em Nova Iorque em novembro de 2016

Greg Allen / AP

"Ela deveria ter uma abordagem diferente, ajudando as famílias pobres com crianças ao invés de as adotar", disse à Agência France Press Maxwell Matewere, diretor da organização não-governamental "Eye of the Child".

"A maioria das famílias adoraria criar os seus filhos em casa se tivessem apoio financeiro", acrescentou.

Para Ken Mhango, o diretor no Malawi da Rede Africana para a Proteção e a Prevenção de Abuso Infantil (ANPPCAN), a cantora dá "a impressão que no Malawi há um mercado de crianças pobres prontas para serem adotadas".

De acordo com a decisão da justiça, consultada hoje pela AFP, Madonna sentiu-se na "obrigação" de adotar as duas gémeas.

De acordo com a juíza Fiona Mwale, que concedeu a permissão de adoção, o trabalho de Madonna nos orfanatos fê-la sentir "obrigada a preencher o vazio na vida" das crianças e "abrir a sua casa".

Mercy e David (atrás) numa visita ao Malawi em julho de 2016

Mercy e David (atrás) numa visita ao Malawi em julho de 2016

Thoko Chikondi / AP

  • Outros casos de fuga de prisões portuguesas
    2:58

    País

    Nos últimos cinco anos, 52 reclusos fugiram de cadeias portuguesas, mas foram todos recapturados. Entre 1999 e 2009, fugiram oito reclusos da prisão de Caxias. Em 2005, um homem condenado a 21 anos de prisão fugiu de Coimbra, viajando por França e pela Polónia. Manuel Simões acabou por ser detido no regresso a Portugal.

  • Portugal sem resposta de Moçambique sobre português desaparecido em Maputo
    1:25

    País

    Portugal tem tentado, sem sucesso, obter respostas das autoridades moçambicanas sobre o rapto de um empresário português há sete meses. De acordo com a notícia avançada este domingo pelo jornal Público, uma carta enviada há duas semanas pelo Presidente da República ao homólogo moçambicano não teve resposta. O Governo de Moçambique tem ignorado pedidos de informação das autoridades portuguesas.

  • Táxi capaz de sobrevoar filas de trânsito ainda este ano no Dubai

    Mundo

    É o sonho de muitos que passam horas intermináveis em filas de trânsito. Trata-se de um drone com capacidade para transportar pessoas. "Operações regulares" deste insólito aparelho terão início em julho, no Dubai. O anúncio foi feito pela entidade que gere os transportes da cidade. Apenas um passageiro, com o peso máximo de 100 kg, pode seguir viagem neste táxi revolucionário, capaz de sobrevoar vias congestionadas pelo trânsito.