sicnot

Perfil

Mundo

Mulher alemã condenada por vender sexo com filha menor na Internet

Cela de "El Chapo"

© Edgard Garrido / Reuters

Um tribunal do estado da Baixa Saxónia (norte da Alemanha) condenou esta quarta-feira uma mulher a quatro anos de prisão por ter vendido sexo com a filha adolescente na Internet.

A mulher, 37 anos, foi presa por abuso sexual grave de crianças e proxenetismo, disse um porta-voz do tribunal.

Os juízes condenaram igualmente o namorado da mulher, 40 anos, a quatro anos e 10 meses de prisão por três acusações de abuso sexual, por crimes cometidos em 2012-13.

A mulher ofereceu a filha de 16 anos para sexo na Internet durante um período de seis meses, tendo ameaçado expulsar a rapariga de casa se recusasse submeter-se.

Também ajudou o namorado a abusar da sua filha mais nova, então com 11 anos, mostraram documentos da acusação.

Durante o julgamento, a mulher reconheceu as acusações, enquanto o namorado contestou o caso, adiantou o porta-voz.

A filha mais velha recorreu à polícia em julho de 2013, mas o julgamento só começou em janeiro, tendo as audiências decorrido à porta fechada devido à idade das vítimas.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.