sicnot

Perfil

Mundo

Síria diz que relatório da Amnistia sobre execuções em massa é "totalmente falso"

O regime sírio repudia o relatório publicado ontem pela Amnistia Internacional que afirma que 13 mil pessoas foram executadas por enforcamento em cinco anos numa prisão em Damasco.

O Ministério da Justiça sírio afirma que o relatório "totalmente falso destina-se a manchar a reputação do Governo sírio no palco internacional", noticia a agência oficial Sana, no dia seguinte à divulgação da investigação da Amnistia Internacional.

"Entre 2011 e 2015, todas as semanas e muitas vezes duas vezes por semana, grupos de até 50 pessoas eram levadas das suas celas prisionais e enforcadas. Em cinco anos, até 13 mil pessoas, a maioria deles civis considerados opositores do governo, foram enforcadas em segredo em Saydnaya", indica um relatório da Amnistia Internacional com o título "Matadouro Humano: Enforcamentos e extermínio em massa na Prisão de Saydnaya, Síria".

O Ministério da Justiça desmente que tais execuções tenham tido lugar sem julgamento, uma vez que o processo judicial sírio respeita "várias etapas".

A Amnistia indica que o relatório foi concluído após uma investigação que decorreu de dezembro de 2015 a dezembro de 2016 e envolveu entrevistas com 84 testemunhas - incluindo antigos guardas, responsáveis e reclusos de Saydnaya, juízes e advogados, bem como especialistas em detenções na Síria.

O relatório e toda a investigação feita pela Amnistia são publicados a duas semanas de uma nova ronda de negociações em Genebra entre o regime e a oposição sírios sob a égide da ONU para tentar travar o conflito que já fez mais de 310 mil mortos desde março de 2011.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.