sicnot

Perfil

Mundo

Um dia sem mulheres, contra Trump

Uma dia sem mulheres. Em casa, no escritório ou até na escola, as mulheres farão greve durante um dia. O objetivo é sublinhar a contribuição do trabalho feminino - pago e não pago - para a economia norte-americana. A medida surge no âmbito dos protestos contra Donald Trump e está a ser agendado pelos organizadores da Marcha das Mulheres, do passado dia 21 de janeiro.

A "greve das mulheres" foi anunciada esta segunda-feira, mas a data ainda está por definir.

"Não descansaremos enquanto as mulheres não tiverem paridade e igualdade a todos os níveis da liderança da sociedade. Trabalhamos pacificamente, mas reconhecemos que não há verdadeira paz sem justiça e igualdade para todos", afirma o movimento Marcha das Mulheres.

Nas redes sociais, já são muitas as manifestações de apoio à iniciativa.

A Marcha das Mulheres mobilizou no passado dia 21 multidões em massa para protestar contra as políticas de Trump não só em Washington, mas em várias regiões do mundo. Foi já considerado o maior dia de protesto na História recente dos EUA.

Entre 3,3 e 4,6 milhões de pessoas saíram às ruas em todo o país.

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • Depois do Fogo
    23:30
  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • O último adeus a Miguel Beleza

    País

    O velório do economista e ex-ministro das Finanças realiza-se esta segunda-feira na Igreja do Campo Grande, em Lisboa, a partir das 18h00.

  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.