sicnot

Perfil

Mundo

Defesa norte-americana quer alugar espaço na Trump Tower

© Mike Segar / Reuters

O Departamento de Defesa norte-americano alega que o Presidente precisa de proteção e apoio logístico quando está na residência de Nova Iorque. Os media norte-americanos levantam questões sobre dinheiros públicos misturados com os interesses privados.

Um porta-voz do Pentágono anunciou na quarta-feira que o Departamento de Defesa queria alugar um dos apartamentos do edifício de luxo de 58 andares de Donald Trump em Nova Iorque com vista a "cumprir os requisitos oficiais". "O espaço é necessário para o pessoal e equipamento que vão apoiar o POTUS [President of the United States] na sua residência no edifício", disse o tenente-coronel J.B. Brindle à CNN.

O apoio militar a um Presidente requer uma grande proximidade, sublinha o porta-voz. Nomeadamente os militares responsáveis pelo transporte da mala que contém os códigos nucleares, que têm de andar sempre junto ao Presidente.

O Pentágono tem regularmente alugado espaços junto das residências dos Presidentes além da Casa Branca, como foi o caso em Chicago perto da casa de Barack Obama ou no Texas, junto do rancho de Geroge W. Bush.

No entanto, este assunto levanta questões diferentes, uma vez que se trata de alugar com dinheiros públicos um espaço de uma empresa privada. A Trump Tower é propriedade de Trump, é a sede da Organização Trump e alberga a família num triplex nos últimos andares. Donald Trump reside oficialmente da Casa Branca, mas a mulher e o filho permanecem em Nova Iorque.

Segundo a CNN conseguiu apurar, o aluguer de um espaço no arranha-céus pode custar 1,5 milhões de dólares por ano - cerca de 1,4 milhões de euros.

  • Fogo em Sabrosa entrou em fase de resolução

    País

    O incêndio que deflagrou terça-feira em Vilela do Douro, Sabrosa, distrito de Vila Real, entrou a meio da manhã de hoje em fase de resolução, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.