sicnot

Perfil

Mundo

Irão nega ter realizado novo teste de míssil

O ministro da Defesa do Irão, Hosein Dahqan, negou hoje que Teerão tenha realizado um novo teste de míssil e denunciou que tais acusações por parte dos Estados Unidos pretendem promover um sentimento anti iraniano.

O governo iraniano reagiu à notícia divulgada pela estação de televisão norte-americana Fox News, que avançou na quarta-feira que Teerão tinha lançado um míssil terra-ar de curto alcance tipo Mersad, cujo impacto aconteceu a cerca de 55 quilómetros do lugar de lançamento.

Hosein Dahqan assegurou que esta informação é falsa e tem como objetivo "criar inimigos, fazer guerra psicológica e promover uma iranofobia", segundo as declarações divulgadas pela agência noticiosa iraniana oficial IRNA.

O ministro sublinhou que o alegado teste "não aconteceu", mas se tivesse ocorrido não seria uma questão para os Estados Unidos comentarem, porque o programa de mísseis do Irão tem um carácter defensivo.

O ministro da Defesa do Irão (país maioritariamente xiita e rival da Arábia Saudita sunita) acusou Israel de ter fabricado tal notícia e pediu aos países sunitas do Golfo, seus rivais tradicionais, para não se deixarem influenciar por estas informações.

"A República Islâmica do Irão nunca foi e não será uma ameaça para eles", frisou.

Segundo Hosein Dahqan, os Estados Unidos embarcaram numa guerra psicológica para vender mais armas aos países daquela região.

Também o Presidente iraniano, Hassan Rohani, insistiu hoje que o Irão não pretende interferir nos assuntos internos de outros países e que o seu desenvolvimento militar tem fins unicamente defensivos.

Em finais de janeiro, o regime de Teerão realizou testes de um míssil balístico de médio alcance que explodiu depois de percorrer cerca de um mil quilómetros.

A ação provocou a convocação de uma reunião de urgência do Conselho de Segurança da ONU.

Após o ensaio, a administração liderada pelo Presidente americano, Donald Trump, endureceu as sanções económicas contra o Irão, visando 13 pessoas e 12 entidades relacionadas com o programa de mísseis balísticos de Teerão, que anunciou por sua vez medidas recíprocas.

Na mesma altura, o chefe de Estado americano avisou o Irão de "estar a brincar com o fogo".

O regime de Teerão defende que estes ensaios não violam o acordo nuclear assinado em julho de 2015 entre o Irão e o grupo de países 5+1 (Estados Unidos, Reino Unido, Alemanha, França, Rússia e China), nem a resolução 2231 das Nações Unidas, que proíbe o país de realizar testes com mísseis com capacidade nuclear.

O Irão é um dos sete países de maioria muçulmana que consta na controversa ordem executiva anti-imigração assinada em janeiro por Donald Trump.

Lusa


  • "Cada drama, cada problema, cada testemunho, impressiona muito"
    1:55
  • Clínica veterinária em Tondela recebeu dezenas de animais feridos nos fogos
    2:57
  • Temperaturas sobem até ao final do mês
    1:09

    País

    O tempo não dá tréguas e, até ao final do mês, as temperaturas vão atingir valores acima do normal para esta época do ano. As temperaturas máximas vão subir entre os 25 e os 32 graus. O risco de incêndio aumenta a partir desta segunda-feira em todo o país e os meios aéreos, viaturas, operacionais e equipas de patrulha vão ser reforçados.

  • Maioria das praias do Algarve já não tem nadador-salvador
    2:19

    País

    A lei não obrigada os concessionários a garantir o serviço e, por isso, a esmagadora maioria das praias do Algarve está sem vigilância desde 30 de setembro. Ainda assim, os areais vão atraindo milhares de banhistas com as temperaturas altas que ainda se fazem sentir. Um nadador-salvador recomenda os banhistas a não nadar e, em dias de ondulação, evitar caminhadas à beira-mar.

  • Parlamento catalão vai responder à ativação do artigo 155
    1:54
  • A história por detrás da fotografia que correu (e impressionou) o Mundo

    Mundo

    Depois dos incêndios da semana passada na Galiza, começou a circular na internet e nas redes sociais a imagem de uma cadela que alegadamente levava a sua cria carbonizada na boca. Contudo, a cadela é na verdade macho e chama-se Jacki. Esta é a história do cão que passou os dias após os fogos a recolher animais mortos para os enterrar num campo perto de uma igreja, em Coruxo, Vigo.

    SIC

  • Quando o cão de Macron fez chichi no gabinete do Presidente francês
    0:31