sicnot

Perfil

Mundo

Ministro romeno demite-se após onda de manifestações

© Inquam Photos / Reuters

O ministro da Justiça romeno, Florin Iordache, anunciou esta quinta-feira a sua demissão, na sequência das manifestações maciças contra o decreto que despenalizava certos casos de corrupção, do qual foi um dos autores.

"Decidi apresentar a minha demissão", disse Iordache numa conferência de imprensa em Bucareste. O ministro defendeu a sua atuação, afirmando que tudo o que fez foi "legal e constitucional", embora insuficiente para acalmar "a opinião pública".

O decreto, adotado a 31 de janeiro e revogado no domingo, previa a despenalização dos casos de corrupção envolvendo valores abaixo dos 44.000 euros, permitindo a vários políticos já acusados escapar à justiça.

O texto legal desencadeou uma vaga de protestos em massa, os maiores desde o fim do regime comunista, em 1989, que continuaram após a revogação, com alguns dos manifestantes a exigir a demissão do governo social-democrata, no poder há pouco mais de um mês.Na quinta-feira, o governo sobreviveu a uma moção de censura no Parlamento, onde tem a maioria.

Lusa

  • Confirmados dois novos casos de legionella

    Legionella

    Dois novos casos de legionella foram esta quarta-feira confirmados. A informação foi avançada em comunicado pela Direção-Geral da Saúde. Tratam-se de duas pessoas com mais de 80 anos, internadas no Hospital São Francisco Xavier e no Egas Moniz, ambas em situação clínica estável.

  • Quem é o novo Presidente do Zimbabué?
    2:15

    Mundo

    Emmerson Mnangagwa é o sucessor de Robert Mugabe que regressou esta quarta-feira da África do Sul, onde estava refugiado. No primeiro discurso, o Presidente do Zimbabué falou de uma nova democracia no país. Mnangagwa, conhecido como crocodilo, é suspeito de atrocidades na guerra civil pós-independência. 

  • Diminuem as hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino
    3:09

    Mundo

    As hipóteses de salvar os tripulantes a bordo do submarino argentino, desaparecido há 8 dias, começaram a diminuir, uma vez que o chamado "tempo de segurança" já foi ultrapassado. A Marinha portuguesa está a acompanhar o caso do submarino que está desaparecido há oito dias. As hipóteses de salvar os tripulantes vão diminuindo.

  • Comprar um carro em segunda mão sem ser enganado 
    8:44
  • O que aprendemos com secas anteriores?
    32:50