sicnot

Perfil

Mundo

Sudão do Sul pede 187 M€ de ajuda à comunidade internacional

O Sudão do Sul pediu à comunidade internacional uma ajuda de 200 milhões de dólares (187 milhões de euros) para o orçamento do país, em guerra civil, disse hoje o ministro das Finanças, Steven Dhieu Dau.

Numa conferência de imprensa, Dau referiu que a economia sul-sudanesa, muito dependente do petróleo, desacelerou, adiantando ter pedido aos países doadores uma ajuda para "apoiar o orçamento geral", que "diminuiu devido à depreciação da libra sul-sudanesa face ao dólar".

Após uma reunião com os países doares, liderados pela Alemanha, o ministro disse que as consequências desta crise levaram a "um aumento dos preços que os cidadãos não podem pagar".

O apoio permitirá levar a cabo reformas económicas no Sudão do Sul, disse ainda Dau.

O embaixador alemão no Sudão do Sul e representante dos países doadores, Johannes Lehne, já reagiu às declarações do ministro das Finanças sul-sudanês dizendo aos jornalistas que o seu país se compromete a ajudar o governo para realizar as reformas económicas necessárias.

Salientou "a importância da transparência" como garantia para as ajudas e adiantou que a Alemanha vai dar um milhão de dólares (937,6 mil euros) anuais para "apoiar o trabalho humanitário".

O conflito no Sudão do Sul começou em dezembro de 2013, quando o presidente Salva Kiir acusou o seu ex-vice-presidente Riek Machar de uma tentativa de golpe de Estado.

Em agosto de 2015, ambos assinaram um acordo de paz, mas a tensão voltou a instalar-se no país em julho passado.

Lusa


  • Junta de Santa Maria Maior no centro de Lisboa contra despejos de idosos
    3:02
  • "Não há nenhuma meta com Bruxelas", garante Centeno no Parlamento
    0:57

    Economia

    O ministro das Finanças afirma que o Programa de Estabilidade é debatido em Lisboa e não em Bruxelas.Esta manhã, no Parlamento, Mário Centeno assegurou ainda que as metas são as mesmas com que se comprometeu no programa do Governo e garante que não há nenhuma meta acordada com Bruxelas.