sicnot

Perfil

Mundo

Assad entende que terroristas se escondem entre refugiados

© Agencja Gazeta / Reuters

O Presidente sírio Bashar al-Assad referiu numa entrevista esta sexta-feira publicada que alguns dos milhões de refugiados que fugiram do conflito no seu país são "terroristas".

Interrogado pela Yahoo News sobre as declarações do Presidente norte-americano Donald Trump, que emitiu a mesma opinião ao considerar que elementos extremistas se escondem entre os refugiados, Assad disse: "Podem encontrar isso na Internet".

"Estes terroristas na Síria, que erguem armas ou matam pessoas, são refugiados pacíficos na Europa ou no ocidente", acrescentou.

No entanto, não precisou qual a proporção de "terroristas" entre os cerca de 4,8 milhões de refugiados sírios. "Não é necessário um número significativo para cometer atrocidades", disse ainda.

Nas suas declarações, Assad rejeitou o projeto de Donald Trump de estabelecer "zonas de segurança" para os civis na Síria.

Em janeiro, o Presidente dos EUA afirmou que o Governo norte-americano defendeu a criação de zonas seguras na Síria para acolher os deslocados sírios.

"As zonas de segurança para os sírios apenas podem ser estabelecidas quando forem garantidas a estabilidade e a segurança", assinalou o Presidente sírio.

"Em locais onde não existam terroristas. Em locais onde não existe um fluxo de terroristas apoiados pelos países vizinhos ou pelos países ocidentais".

"É muito mais viável, muito mais prático e menos custoso garantir estabilidade do que criar zonas de segurança. Essa ideia não é de todo realista", afirmou Assad.

O chefe de Estado sírio assegurou que a crise dos refugiados foi provocada por atos "terroristas" apoiados por "forças estrangeiras" e pelas sanções ocidentais impostas à Síria.

"Não foram apenas razões de segurança que impeliram muitas pessoas a deixar a Síria", sustentou.

Donald Trump evocou a perspetiva de "zonas de segurança" na Síria para evitar que os sírios abandonem o seu país e se refugiem em Estados vizinhos ou na Europa.As modalidades práticas destas "zonas de segurança" não foram precisadas.

Segundo os ´media' norte-americanos, o Pentágono deverá estabelecer em 90 dias um plano para estabelecer estas zonas na Síria ou em países fronteiriços.

Lusa

  • Amnistia Internacional pediu à ONU para investigar execuções na Síria
    1:49

    Mundo

    Segundo a Amnistia Internacional, 13 mil opositores do Governo sírio terão sido executados em segredo entre 2011 e 2015 com a autorização das mais altas chefias. A organização apelou à ONU para que investigue o caso. Bashar al-Assad fez saber que os interesses sírios se sobrepõem ao risco de ter de responder por crimes contra a Humanidade.

  • Paz na Síria volta a ser atacada
    0:56

    Mundo

    Um dia depois das negociações para a paz na Síria, os ataques continuam. Em Harasta os bombardeamentos causaram feridos e fizeram vários estragos. O Observatório dos Direitos Humanos estima que tenham morrido mais de 300 mil pessoas desde o início da guerra, em março de 2011.

  • Prosseguem combates no norte da Síria contra o Daesh

    Mundo

    Rebeldes apoiados pelas forças turcas e militares sírios, auxiliados por brigadas mecanizadas russas, continuam operações contra o Daesh em Al-Bab, no norte da Síria, disse esta sexta-feira o Observatório Sírio para os Direitos Humanos.

  • Passos explica porque se irritou com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas.

  • Luaty Beirão agredido em manifestação em Luanda
    1:27

    Mundo

    Luanda tem sido palco de várias manifestações contra a forma como está a decorrer o processo eleitoral em Angola. Esta sexta-feira, uma dessas manifestações acabou em confrontos com as autoridades. Entre os manifestantes estava o ativista Luaty Beirão.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.