sicnot

Perfil

Mundo

Bactérias intestinais podem acelerar doença de Alzheimer 

Uma investigação com ratinhos concluiu que as bactérias intestinais podem acelerar o desenvolvimento da doença de Alzheimer, abrindo uma nova perspetiva para a prevenção e o tratamento da patologia neurodegenerativa, divulgou hoje a Universidade de Lund, na Suécia.

Cientistas da universidade sueca estudaram ratinhos saudáveis e com a doença de Alzheimer e descobriram que os roedores doentes tinham uma composição diferente de bactérias intestinais comparativamente aos que eram saudáveis.

Por outro lado, verificaram que os ratinhos que não tinham bactérias possuíam uma quantidade significativamente mais pequena de placas beta-amiloide (massas da proteína beta-amiloide) no cérebro, caraterísticas da doença de Alzheimer.

Para clarificar a relação entre a flora intestinal e o aparecimento da doença de Alzheimer, os investigadores transferiram bactérias de ratinhos doentes para ratinhos sem bactérias e observaram que estes últimos desenvolveram mais placas beta-amiloide no cérebro do que quando receberam as bactérias de ratinhos saudáveis.

"Os resultados significam que podemos agora começar a procurar formas de prevenir a doença e atrasar o aparecimento dos sintomas", sustentou a investigadora Frida Fåk Hållenius.

A doença de Alzheimer, que não tem cura, é um tipo de demência associada ao envelhecimento que provoca uma deterioração progressiva e irreversível da memória, atenção, linguagem e do pensamento.

Lusa


  • "É evidente que não fecho a porta ao Eurogrupo"
    1:38

    Economia

    O ministro das Finanças diz que não fecha a porta ao Eurogrupo. A declaração é feita numa entrevista ao semanário Expresso. No entanto, Mário Centeno deixa a ressalva que qualquer ministro das Finanças do Eurogrupo pode ser presidente.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11