sicnot

Perfil

Mundo

Plástico e vidro poluem até o oceano Ártico

© Reuters Staff / Reuters

O Oceano Ártico está cheio de lixo, alertaram esta sexta-feira cientistas alemães, que descobriram que a concentração de detritos numa estação marinha de grande profundidade aumentou 20 vezes em 10 anos.

Sacos de plástico, vidros e redes de pesca concentram-se nas profundezas e ameaçam o ecossistema, afirmam os investigadores do Instituto Alfred Wegener, em Bremerhaven, que monitorizam a rede de observação de profundidade localizada no estreito de Fram, entre a Gronelândia e costa do arquipélago norueguês de Svalbard.

O resultado da pesquisa, que decorre desde 2002, foi publicado na revista científica Deep Sea Research, e nele se afirma que "os níveis de lixo nas profundezas do Ártico subiram rapidamente nos últimos anos", de acordo com o biólogo Mine Tekman.

Os cientistas, que observaram o leito marinho a uma profundidade de 2.500 metros, estimam que em 2014 havia uma média de 6.333 pedaços de lixo por cada quilómetro quadrado de oceano.

Numa das estações situadas mais a norte, a quantidade de lixo observada aumentou 20 vezes, de 346 detritos em 2004 para mais de 8.000 em 2014.

Embora o plástico seja habitualmente associado à corrente oceânica do Golfo, que começa no golfo do México e atravessa o oceano Atlântico, os investigadores alemães acreditam agora que parte do plástico fica preso no próprio gelo quando a água do mar congela e que, quando o gelo derrete, o plástico é libertado na zona do estreito de Fram.

No caso do vidro, que não costuma ser levado pelas correntes, é associado ao aumento do tráfego marítimo na zona, libertada para a navegação devido ao degelo no Ártico.

Verificaram ainda que o plástico no fundo do mar é composto por pedaços cada vez mais pequenos, algo que não conseguem explicar, uma vez que o plástico não se costuma desintegrar tanto sem raios ultravioleta e a baixas temperaturas.

Lusa

  • Coreia do Norte lança novo míssil balístico

    Mundo

    O Pentágono detetou esta sexta-feira mais um lançamento de um míssil balístico por parte da Coreia do Norte. O primeiro-ministro japonês já confirmou o lançamento, que terá atingido a zona económica exclusiva, no Mar do Japão.

  • Menino perdido na Praia da Luz foi levado à GNR por turista
    1:11

    País

    Um menino inglês, de sete anos, esteve desaparecido na quinta-feira na Praia da Luz, no Algarve, depois de se ter perdido dos pais. A GNR colocou duas equipas de investigação no local, mas ao fim de uma hora e meia o rapaz apareceu na esquadra de Lagos acompanhado por um turista a quem terá pedido ajuda.

  • Mais viagens mas menos turistas de Portugal
    1:22

    País

    Os residentes em Portugal - sejam portugueses ou estrangeiros - realizaram quatro milhões de viagens turísticas, só no primeiro trimestre do ano. Um aumento de mais de 6% nas viagens dentro do país face ao período homólogo e de mais de 15% nas viagens para fora, de avião. O estudo é do INE, o Instituto Nacional de Estatística, que permite fazer o retrato mais claro de quem viaja e porquê.

  • Algarve sozinho gera metade dos bens transacionáveis em Portugal
    4:14

    SIC 25 Anos

    O Algarve quase não tem indústria e os especialistas consideram que é excessivamente dependente do turismo. Ainda assim, sozinho contribui com metade do que Portugal gera em bens transacionáveis. A região tem problemas graves, como a falta de médicos e um custo de vida muito alto, mas continua a atrair a maior parte dos turistas e muitos estrangeiros decidem mesmo escolher a região para viver.