sicnot

Perfil

Mundo

Presidente iraniano ameaça os que usarem "linguagem ameaçadora" contra o Irão

Hassan Rohani, presidente do Irão

© Reuters Photographer / Reuter

O Presidente iraniano, Hassan Rohani, avisou esta sexta-feira os Estados Unidos que aqueles que usarem "linguagem ameaçadora" contra o Irão vão arrepender-se, numa referência à retórica assumida pela nova Administração de Donald Trump.

Rohani falava numa marcha que assinalou o aniversário da revolução islâmica de 1979, perante centenas de milhares de pessoas.

"A vossa participação maciça é uma resposta aos comentários falsos dos novos dirigentes na Casa Branca e o que a vossa presença diz é que o povo iraniano deve ser tratado com respeito", afirmou Rohani.

"Os iranianos vão fazer com que aqueles que utilizam linguagem ameaçadora se arrependam", disse.

"Todo aquele que ameaçar o governo do Irão e as suas forças armadas deve saber que a nossa nação está vigilante".

O Presidente norte-americano, Donald Trump, tem assumido uma linguagem particularmente estridente contra o Irão desde que assumiu funções há menos de um mês, ameaçando Teerão com expressões como: "estão a brincar com o fogo", ou "sob aviso".

Na semana passada, os Estados Unidos impuseram sanções a Teerão em resposta a um ensaio de um míssil balístico pelo Irão no passado dia 29 de janeiro e avisaram que outras medidas estarão a ser preparadas.

Na semana passada, o novo secretário da Defesa norte-americano, James Mattis, descreveu o Irão como "o maior patrocinador do terrorismo no mundo".

O líder religioso iraniano, ayatollah Ali Khamenei, afirmou na terça-feira que as políticas de Trump mostram a "verdadeira face da América", um país descrito há décadas pelo regime de Teerão como o "grande Satanás".

Lusa

  • Fogo em Sabrosa entrou em fase de resolução

    País

    O incêndio que deflagrou terça-feira em Vilela do Douro, Sabrosa, distrito de Vila Real, entrou a meio da manhã de hoje em fase de resolução, segundo a Autoridade Nacional de Proteção Civil.

  • Porto Editora acusada de discriminação
    2:55
  • "Burlão do amor" acusado de tirar 450 mil euros a amante
    2:21

    País

    Um homem com cerca de 50 anos é acusado de tirar 450 mil euros a uma mulher com quem começou por ter uma relação profissional. Ele pedia, ela emprestava. Anos depois, ela ficou insolvente, com dívidas à banca de 214 mil euros e sem emprego. O homem é arguido, nega a relação amorosa entre ambos, mas admite ter recebido dinheiro dela. Garante, no entanto, que tenciona pagar o que deve.