sicnot

Perfil

Mundo

Trump sem dúvidas: vai vencer luta judicial por decreto anti-imigração

© Joshua Roberts / Reuters

O Presidente norte-americano afirmou esta sexta-feira não ter "qualquer dúvida" sobre o seu êxito final na batalha judicial pela reposição da ordem executiva proibindo a entrada de imigrantes nos Estados Unidos, suspensa por um tribunal federal.

Depois de ter sido conhecida, na quinta-feira, a decisão de um tribunal de segunda instância de manter suspenso o polémico decreto, Donald Trump prometeu hoje novas medidas para garantir a segurança dos Estados Unidos, sem esperar pela resolução deste braço-de-ferro judicial.

"Faremos qualquer coisa muito em breve quanto a um aumento da segurança do nosso país", declarou Trump em conferência de imprensa na Casa Branca.

"Além disso, prosseguiremos o processo judicial e não tenho qualquer dúvida de que ganharemos neste caso específico", disse o novo Presidente norte-americano sobre a mais emblemática das medidas que adotou desde o início do mandato, a 20 de janeiro.

Assinado a 27 de janeiro, o decreto presidencial proibia a entrada nos Estados Unidos de cidadãos de sete países de maioria muçulmana -- Iémen, Irão, Iraque, Líbia, Síria, Somália e Sudão -- durante 90 dias, de todos os refugiados por 120 dias e de refugiados sírios indefinidamente.

O tribunal de apelação de San Francisco manteve na quinta-feira a suspensão desta ordem presidencial, anteriormente decretada por um juiz federal, tendo os seus três magistrados insistido unanimemente na necessidade de proteger "o interesse público".

Os juízes consideraram que o Governo Trump não apresentou provas de que a manutenção da suspensão do decreto teria como consequência a ocorrência de graves atentados à segurança dos Estados Unidos, como afirma.

Na quinta-feira à noite, logo após o anúncio da decisão judicial, o Presidente norte-americano reagiu na rede social Twitter: "estamos em tribunal, a segurança da nossa nação está em causa!".

Lusa

  • Bombeiros ficaram de prevenção após intoxicação em Corroios
    1:16

    País

    17 alunos da escola EB 2+3 em Corroios, no Seixal, foram hospitalizados esta segunda-feira com sintomas de intoxicação alimentar. Os alunos, entre os 7 e os 14 anos, foram transportados 12 para o hospital Garcia de Orta, em Almada e cinco para o hospital do Barreiro. O transporte foi feito pelos bombeiros voluntários da Amora e do Seixal mantiveram uma equipa de socorro no local apenas por prevenção.

  • "Nada mais há a dizer" sobre a Caixa
    0:13

    Caso CGD

    O primeiro-ministro voltou esta segunda-feira a dizer que já não há nada para discutir, na polémica sobre a entrega de declarações de património dos gestores da CGD. Foram as declarações de António Costa, na Cidade da Praia, à margem da quarta cimeira bilateral entre Portugal e Cabo Verde.

  • Venda do Novo Banco terá que ser negociada em Bruxelas
    0:43

    Economia

    A venda do Novo Banco vai ter que ser negociada com Bruxelas, uma vez que o Lone Star planeia agora ficar com 65% da instituição, obrigando o Estado a manter uma posição no banco. O ministro das Finanças lembra que esta também era uma possibilidade mas salienta que o assunto está nas mãos do Banco de Portugal.

  • Trump e os jornalistas: uma relação (su)rreal
    2:08
  • Modelo obrigada a prometer que não volta a arriscar a vida numa sessão fotográfica
    1:46