sicnot

Perfil

Mundo

EUA e Japão exigem a Pyongyang que pare com provocações após ensaio de míssil

Kim Jong-un, líder da Coreia do Norte

© KCNA KCNA / Reuters

O Presidente dos EUA, Donald Trump, e o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, reagiram ao ensaio de míssil realizado hoje pela Coreia do Norte, exigindo que pare com as provocações e garantindo que Washington e Tóquio estão juntos "a 100%".

Os Estados Unidos "estão a 100%" com o seu aliado nipónico, afirmou Donald Trump, numa conferência conjunta, depois de a Coreia do Norte ter lançado um míssil em direção do mar do Japão, o primeiro desde que o republicano assumiu o poder a 20 de janeiro.

"O lançamento norte-coreano de um míssil é totalmente intolerável", afirmou, por seu turno, o primeiro-ministro japonês, que termina hoje a sua visita oficial aos Estados Unidos.Shinzo Abe instou o regime de Pyongyang a cumprir as resoluções do Conselho de Segurança da ONU que proíbem o desenvolvimento nuclear militar e limitam a tecnologia de mísseis.

A aparição conjunta no 'resort' de Mar-a-Lago (Florida), propriedade de Donald Trump, teve lugar depois de um jantar entre os dois líderes, que tentaram por via desta visita estabelecer uma relação pessoal mais próxima.

Na breve aparição, Trump e Abe limitaram-se a garantir que estão "100%" juntos contra as provocações do regime de Kim Jong-un, sem especificar se irão procurar novas sanções internacionais ou unilaterais contra Pyongyang.

Horas antes, o Pentágono indicou que estar a analisar as caraterísticas do lançamento. Apesar de esperar ter mais detalhes em breve foi levantada a possibilidade de ter-se tratado de um míssil balístico de médio alcance.

O míssil foi lançado pelas 07:55 (22:55 de sábado em Lisboa) da base aérea de Banghyon, situada na zona oeste da Coreia do Norte, e seguiu para este, em direção ao mar do Japão, referiu o ministério sul-coreano, indicando não ser possível determinar ainda o tipo de míssil.

O míssil percorreu cerca de 500 quilómetros, até cair no mar, de acordo com o Estado-Maior Conjunto de Seul.

O lançamento coincide com a visita de Abe aos Estados Unidos, mas seria esperado também por outra razão.Seul advertiu, esta semana, que a Coreia do Norte poderia estar a preparar "novas provocações" por volta de dia 16, altura em que se comemora o 75.º aniversário do nascimento do "querido líder" Kim Jong-il - pai do atual dirigente do país,

Kim Jong-un, conhecido por ter impulsionado o programa de armas nucleares -, segundo afirmou o primeiro-ministro e Presidente sul-coreano em exercício, Hwang Kyo-ahn.Esta data (16 de fevereiro), conhecida como o "Dia da Estrela Brilhante", em homenagem ao pai do atual líder é uma das mais importantes festividades da Coreia do Norte.

  • Japão e EUA "lado a lado a 100%"
    1:08

    Mundo

    O primeiro-ministro no Japão estava com Donald Trump quando soube do míssil que a Coreia do Norte lançou em direção ao Mar do Japão. Shinzo Abe diz que o lançamento é absolutamente inaceitável. A partir da casa de férias do Presidente dos Estados Unidos na Florida, os dois líderes garantiram que estão lado a lado.

  • Pyongyang está "fanaticamente obcecado" com mísseis, diz Seul
    0:40

    Mundo

    O Governo da Coreia do Sul diz que Pyongyang está "fanaticamente obcecado" com o desenvolvimento de mísseis nucleares e balísticos. Foi a expressão usada pelo ministro sul-coreano dos Negócios Estrangeiros para se referir ao lançamento de um míssil balístico ontem à noite.

  • Marco Silva vai treinar o Watford

    Desporto

    O treinador português Marco Silva assinou contrato com o Watford, da Liga Inglesa. O emblema que terminou a última Premier League na 17ª posição, a última antes dos lugares de descida, ganhou assim a corrida ao Crystal Palace e ao FC Porto, que também tentaram contratar o técnico.

  • "A maior conquista foi construir estabilidade"
    2:14

    Economia

    António Costa voltou esta sexta-feira a garantir que a partir de junho nenhum subsídio de desemprego será inferior a 421 euros por mês. O primeiro-ministro falava nas jornadas parlamentares do PS, onde afirmou que a estabilidade é a maior conquista deste Governo.

  • Com a multiplicação de bons indicadores económicos e financeiros do país, multiplicam-se os elogios ao Governo e declaram-se mortas e enterradas as políticas do passado recente, nomeadamente a da austeridade. Nada mais errado. O que os bons resultados agora alcançados provam definitivamente é que a austeridade resolveu de facto os problemas das contas públicas e, mais do que isso, contribuiu para o crescimento económico que foi garantido por reformas estruturais e pela reorientação do modelo económico.

    José Gomes Ferreira

  • Raízes de ciência e rebentos de esperança
    14:14
  • Portugal pode ser atingido por longos períodos de seca

    País

    Portugal e Espanha podem ser atingidos até 2100 por 'megasecas', períodos de seca de dez ou mais anos, segundo os piores cenários traçados num estudo da universidade britânica Newcastle, que tem a participação de uma investigadora portuguesa.

  • G7 reforça compromisso na luta contra o terrorismo
    2:11
  • Uma foto para a história

    Mundo

    As mulheres dos líderes mundiais que se reúnem nas cimeiras da NATO posam para a fotografia oficial das primeiras-damas. A deste ano é histórica. Pela primeira vez, há um marido de um primeiro-ministro entre as nove mulheres. Trata-se de Gauthier Destenay, casado com o líder do Luxemburgo.