sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas encontram poluentes químicos no oceano profundo

© Mike Blake / Reuters

Poluentes, como químicos proibidos nos anos 70 do século XX, foram encontrados no fundo do mar por cientistas britânicos, que salientam ser uma prova de que estas substâncias persistem no ambiente, mesmo em pontos profundos do oceano.

A investigação "mostra que, longe de estar muito distante, o oceano profundo está ligado às águas superficiais e isso quer dizer que aquilo que deitamos no mar um dia volta, sob uma qualquer forma", disse o cientista Alan Jamieson, coordenador do estudo.

"Ainda pensamos no oceano profundo como sendo um reino remoto e imaculado, protegido do impacto humano, mas o nosso trabalho mostra que, tristemente, isto não podia estar mais longe da verdade", salientou.

O trabalho agora publicado na Nature Ecology & Evolution descobriu a primeira prova de que os poluentes resultantes da atividade humana já chegaram aos recantos mais distantes do planeta, refere uma informação divulgada esta segunda-feira pela Newcastle University.

As amostras recolhidas pelos cientistas "contêm níveis de contaminação semelhantes àqueles encontrados na baía de Suruga, no Japão, uma das zonas industriais mais poluídas do noroeste do Pacífico".

"O que ainda não sabemos é o que isto representa para o ecossistema marinho, nem compreendemos qual será o próximo grande desafio", referiu ainda Alan Jamieson.

Nas amostras de anfípodes (pequenos crustáceos), recolhidas no Oceano Pacífico, nos vales de Mariana e Kermadec, que têm 10 quilómetros de profundidade e têm uma distância de sete mil quilómetros entre si, a equipa encontrou "níveis extremamente altos de poluentes orgânicos persistentes", como os compostos químicos bifenilos policlorados (PCB) ou os éteres difenílicos polibromados (PBDE), que eram utilizados como isolantes elétricos e retardadores de chama.

Agora, a equipa de cientistas, da Newcastle University, mas também da University of Aberdeen e do The James Hutton Institute, igualmente do Reino Unido, pretendem perceber as consequências desta contaminação e os seus efeitos na vida dos ecossistemas.

Lusa

  • Mais plástico que peixe nos oceanos em 2050

    Mundo

    Ellen MacArthur alerta para o perigo de em 2050 existirem mais resíduos plásticos nos oceanos do que peixes, caso nada se faça para impedir que se continuem a despejar esse tipo de resíduos nas águas do mar. Velejadora experiente com muitas milhas percorridas, tem como poucos um conhecimento profundo dos oceanos e criou uma fundação que se dedica aos estudo de questões ambientais e económicas.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • "Reforma da Proteção Civil esgotou prazo de validade"
    2:34

    Tragédia em Pedrógão Grande

    António Costa reconheceu esta quinta-feira que a reforma da Proteção Civil que liderou em 2006 está esgotada, e não pode dar resultados sem uma reforma da floresta. Na mesma altura, o ministro da Agricultura admitiu que os problemas já estavam identificados há uma década, sem explicar por que razão não foram atacados pelo Governo socialista da altura.

  • "De um primeiro-ministro esperam-se respostas, não perguntas"
    0:35

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assunção Cristas acusa o ministro da Agricultura de ter deitado ao lixo a legislação do anterior Governo que poderia ser útil no combate aos incêndios. O CDS exige uma responsabilização política pela tragédia de Pedrógão Grande, diz que há muito por esclarecer e por esse motivo entregou esta quinta-feira ao primeiro-ministro um conjunto de 25 perguntas.

  • Revestimento da Torre de Grenfell era tóxico e inflamável
    1:52
  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.