sicnot

Perfil

Mundo

Coreia do Norte diz que sanções impedem desenvolvimento desportivo do país

© KCNA KCNA / Reuters

A Coreia do Norte insurgiu-se esta segunda-feira contra as sanções internacionais impostas sobre equipamentos e material desportivo, considerando que estão a condicionar a evolução do país em termos competitivos a nível mundial.

O líder norte-coreano Kim Jong-Un prometeu em 2015 que a Coreia do Norte seria uma potência desportiva no espaço de "alguns anos", mas, por causa de seu programa nuclear, este país é praticamente hermético no que concerne a relações internacionais.

O país foi submetido a várias sanções da ONU, ao abrigo da resolução 2270, adotada em março de 2016, que impede especificamente Pyongyang de importar equipamentos desportivos, incluindo esquis, embarcações, equipamento de montanha e até de bilhar.

As armas para competições desportivas, munições e arcos foram também proibidos.

"Um pequeno número de países europeus e as suas empresas de equipamentos desportivo são arrastados para estas tentativas perversas de politizar o desporto", disse Kang Ryong-Kil, vice-secretário geral do Comité Olímpico da Coreia do Norte.

Kang Ryong-Kil considerou que as sanções fazem parte de um "esquema político vicioso" para isolar a Coreia do Norte das competições desportivas internacionais, como os Jogos Olímpicos, e rotulou as restrições comerciais de "ato desprezível, ilegal e imoral".

"O facto é que as armas desportivas não podem ser trocadas por mísseis e isso não nos podem tirar", adiantou o dirigente, escassas horas após o teste de mais um míssil balístico norte-coreano, que levou à marcação de uma reunião do Conselho de Segurança da ONU.

Lusa

  • Junta de Santa Maria Maior no centro de Lisboa contra despejos de idosos
    3:02
  • "Não há nenhuma meta com Bruxelas", garante Centeno no Parlamento
    0:57

    Economia

    O ministro das Finanças afirma que o Programa de Estabilidade é debatido em Lisboa e não em Bruxelas.Esta manhã, no Parlamento, Mário Centeno assegurou ainda que as metas são as mesmas com que se comprometeu no programa do Governo e garante que não há nenhuma meta acordada com Bruxelas.