sicnot

Perfil

Mundo

Homem processa Uber por ter causado o divórcio

Um cidadão francês processou a Uber por supostamente ter levado ao seu divórcio. Segundo a imprensa francesa, a mulher do cidadão terá descoberto a traição do marido através de notificações enviadas pela Uber.

Conforme relata o jornal "Le Figaro", o homem abriu a sua conta no Uber a partir do iPhone da mulher. Mesmo depois de fazer o log out no aparelho, a aplicação continuou a enviar para o smartphone da mulher informações sobre utilizações posteriores.

A mulher foi tenho conhecimento dos itinerários feitos pelo marido, tendo supostamente obtido provas de uma traição.

O homem, que pediu o anonimato, alega que a "falha técnica" da Uber despertou as suspeitas da mulher e causou o divórcio. pelo que interpôs uma ação no Tribunal Superior de Grasse. A primeira audiência está marcada para março.

A Uber, por sua vez, enviou uma nota ao jornal francês, dizendo “não comentar publicamente casos individuais, incluindo um envolvido no contexto de um processo de divórcio entre cônjuges".

  • Luís Pina indiciado por quatro crimes de tentativa de homicídio
    2:24
  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.