sicnot

Perfil

Mundo

Primeiro-ministro francês insiste no eixo Franco-alemão para resistir à desintegração da UE

O primeiro-ministro francês, Bernard Cazeneuve, e a chanceler alemã, Angela Merkel, reiteraram hoje a importância da cooperação França-Alemanha num momento de mudanças e riscos.

"Esta solidariedade muito forte entre Paris e Berlim é hoje mais necessária do que nunca à medida que alguns agitam o espectro da desunião da Europa (...) e nós devemos enfrentar juntos os maiores desafios globais", sublinhou Cazeneuve em declarações à imprensa ao lado da chanceler alemã, ainda antes do encontro entre ambos.

Cazeneuve enumerou os desafios globais que os dois países devem enfrentar em conjunto: "a situação securitária que resulta do terrorismo que ataca os dois países", "o desafio migratório" e os "desafios ambientais e políticos".

"A nossa responsabilidade comum é sobretudo a de fornecer respostas muito concretas àqueles que podem trazer valor-acrescentado à Europa, fornecer provas tangíveis do que somos capazes de fazer em conjunto", acrescentou.

Por seu lado, a chanceler alemã disse que "só com cooperação estreita é possível enfrentar os perigos" e sublinhou a necessidade de ver prosperar as economias alemã e francesa, para que a "Europa seja forte".

O primeiro-ministro francês indicou igualmente que o "dever comum" da França e da Alemanha é o de "assegurar a estabilidade e o crescimento da economia europeia".

Lusa


  • Partidos exigem explicações sobre transferências para offshores entre 2011 e 2014

    Economia

    O PS junta-se ao PCP, o Bloco de Esquerda e o PSD no pedido para a audição urgente do antigo e o atual secretário de Estado dos Assuntos Fiscais sobre a falta de controlo do Fisco às transferências de dinheiro para paraísos fiscais. Em causa está a transferência de 10 mil milhões de euros para offshores. O CSD é o único partido que ainda não se pronunciou.