sicnot

Perfil

Mundo

Acusado homem no caso de desaparecimento de criança há 37 anos nos EUA

Depois de 37 anos de investigação e dois julgamentos, um júri norte-americano acusou esta terça-feira uma pessoa no âmbito de um dos mais famosos casos de desaparecimento de uma criança nos Estados Unidos.

Louis Lanzano

Ao fim de nove dias de deliberações, os jurados consideraram Pedro Hernandez, 56 anos e que tinha 18 aquando dos factos, culpado do sequestro e assassínio de Etan Patz, anunciou um funcionário do tribunal do Estado de Nova Iorque.

A sentença será anunciada no próximo dia 28 de fevereiro.

O caso remonta a 25 de maio de 1979, quando Etan Patz, de seis anos, se dirigia a pé para apanhar pela primeira vez, o autocarro escolar e desapareceu a dois quarteirões de casa, no bairro de SoHo, em Manhattan.

Etan Patz foi oficialmente declarado morto em 2001.O primeiro julgamento demorou quatro meses e foi anulado em maio de 2015, depois de o júri não chegar à unanimidade exigida.

Durante as audiências do segundo julgamento, que terminou no final de janeiro, a acusação voltou a destacar a confissão de Pedro Hernandez à polícia em 2012.

Na altura dos factos, Pedro Hernandez trabalhava numa mercearia perto da paragem do autocarro.

Na confissão à polícia, disse que levou a criança para o porão da loja, a estrangulou e colocou o corpo num saco plástico e num contentor do lixo.

O desaparecimento de Etan Patz deu origem ao Missing Children Center, que é hoje uma organização internacional.

Lusa

  • Bruno de Carvalho e Octávio Machado suspensos

    Desporto

    O presidente do Sporting, Bruno de Carvalho, e o diretor-geral para o futebol, Octávio Machado, foram esta terça-feira suspensos pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, na sequência de uma queixa apresentada pelo Benfica em novembro de 2015.

  • Corredora exausta é levada ao colo até à meta na meia maratona do amor
    1:06

    Mundo

    Aconteceu este domingo em Filadélfia, EUA. A poucos metros da meta uma corredora exausta é amparada por dois colegas. Mas o cansaço é tanto que fica sem força nas pernas. É quando aparece a terceira ajuda. Um homem volta para trás e leva-a no colo até à meta. A centímetros do fim larga-a para que a corredora possa atravessar a meta pelo seu próprio pé.

    Patrícia Almeida

  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho