sicnot

Perfil

Mundo

Cientistas chineses descobrem fóssil de dinossauro fêmea grávida

© Eduardo Munoz / Reuters

A descoberta de um fóssil de dinossauro fêmea grávida, com cerca de 245 milhões de anos, revelou que o animal, do grupo 'archosauromorpha', que inclui os antepassados das aves e crocodilos, dava à luz e não se reproduzia com ovos.

Antes da investigação, coordenada por Jun Liu, da Universidade de Tecnologia de Hefei, na China, e publicada esta terça-feira na revista Nature Communications, não era conhecida esta forma de reprodução nos répteis do grupo 'archosauromorpha'.

A equipa de Jun Liu descreve o novo fóssil de 'dinocephalosaurus', um réptil marinho com um pescoço muito longo, encontrado na China, e um embrião em avançado estado de desenvolvimento preservado no abdómen do animal adulto, provando que não há "qualquer impedimento geral contra a possibilidade de os 'archosauromorpha' darem à luz".

A análise da história da evolução dos 'dinocephalosaurus' indica que o sexo da descendência era determinado geneticamente, o que é diferente em outras espécies como crocodilos e algumas tartarugas, em que o sexo é definido pela temperatura dos ovos no ninho.

Os cientistas concluíram que a determinação genética do sexo pode ter sido uma pré-condição para a forma de reprodução nos 'dinocephalosaurus'.

Lusa

  • Capacetes Brancos agradecem Óscar para filme sobre a guerra na Síria
    1:34

    Óscares 2017

    O Óscar para melhor documentário curto foi atribuído a um filme sobre a guerra na Síria. "The White Helmets" retrata o trabalho dos Capacetes Brancos, uma equipa de voluntários que ajuda no salvamento e resgate de habitantes sírios atingidos pelo conflito no país. O Fundador dos Capacetes Brancos já veio fazer um agradecimento público pela atribuição deste galardão. Raed Saleh diz que é uma motivação para os voluntários que todos os dias arriscam a vida para salvar outras pessoas.

  • O primeiro eclipse solar do ano
    0:57
  • O Nokia 3310 está de volta
    1:16