sicnot

Perfil

Mundo

Filha de Trump publica fotografia sentada à secretária da Sala Oval

Ivanka Trump está a gerar polémica nas redes sociais depois de ter publicado uma fotografia na segunda-feira sentada à secretária da Sala Oval. Acompanhada por Donald Trump e o primeiro-ministro canadiano Justin Trudeau, Ivanka partilhou o momento nas redes sociais.

A filha do Presidente dos EUA partilhou a fotografia no Twitter, Instagram e Facebook e legendou o momento como "uma grande discussão com dois líderes mundiais sobre a importância de as mulheres terem um lugar à mesa".

Instagram

Nas redes sociais, as críticas não demoraram a surgir. "A Sala Oval não deveria ser um adereço para a filha do presidente", escreveu um utilizador do Twitter. "Ninguém te elegeu", criticou outro.

As críticas foram duras, mas nem todos estão contra Ivanka. Vários apoiantes de Donald Trump congratularam a filha do presidente por ser um exemplo.

Apesar das críticas, esta não é a primeira vez que um civil se senta na cadeira do Presidente norte-americano. Durante o mandato de Obama, Robby Novak, conhecido como "Kid Presidente", foi convidado pelo presidente para visitar a Casa Branca e teve direito a sentar-se à secretária "Resolute".

Pete Souza, Casa Branca

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.