sicnot

Perfil

Mundo

Fotografias de mulheres nuas regressam à "Playboy"

Arquivo Reuters

As fotografias de mulheres nuas regressaram à "Playboy", pondo fim à proibição de um ano de nudez imposta pela própria revista. A "Playboy" celebrou o regresso da nudez às páginas da revista no Twitter e no Facebook com o 'hashtag' "#NakedlsNormal".

A nova decisão foi conhecida segunda-feira com o lançamento da edição de março-abril da "Playboy".A revista, com 63 anos, baniu as mulheres nuas da sua edição impressa, porque sentia que o conteúdo se tinha tornado ultrapassado na era da pornografia online a apenas um clique de distância em computadores e 'smarthphones' pessoais.

A decisão de mostrar menos pele na "Playboy" foi tomada pelo presidente do conselho de administração, Scott Flanders, que deixou a empresa em maio.Cooper Hefner, diretor criativo da "Playboy" e filho do fundador da revista Hugh Hefner, disse segunda-feira que a proibição de nudez na revista tinha sido um erro.

"A nudez nunca foi um problema, porque a nudez não é um problema", escreveu, salientando que a "Playboy" voltou a recuperar a sua identidade.O especialista em revistas Samir Husni já tinha afirmado que a proibição de nudez alienou mais leitores do que atraiu.

Agora que a nudez está de volta, a "Playboy" vai ter de descobrir como atrair um público mais jovem que já cresceu na era digital e onde o nu é comum.

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • Estarão os portugueses a consumir vitamina D em excesso? 
    6:44
  • Investigadores criam nanovacina contra diferentes cancros

    Mundo

    Investigadores da Universidade do Texas, nos Estados Unidos, desenvolveram uma nanovacina (vacina administrada através de partículas microscópicas) contra diferentes cancros, como o da pele, do cólon e do reto, numa experiência com ratos, revela um estudo publicado esta segunda-feira.