sicnot

Perfil

Mundo

ONU apela que deixem entrar ajuda humanitária nas localidades sitiadas na Síria

© Abdalrhman Ismail / Reuters

Um alto responsável da ONU lançou um apelo às partes envolvidas na guerra da Síria para deixarem entrar ajuda humanitária em quatro localidades sitiadas sob a ameaça de uma "catástrofe iminente".

O coordenador humanitário da ONU, na Síria, Ali al-Zaatari, advertiu em comunicado que 60.000 pessoas estavam em grande perigo em Zabadani, Madaya, Foua e Kefraya.

As duas primeiras localidades, situadas na província de Damasco, estão sitiadas pelas tropas do regime e seus aliados. Já Foua e Kefraya, localidades xiitas pró-regime na província de Idleb (noroeste), estão sitiadas pelos rebeldes.

"Sessenta mil inocentes estão sitiados pela violência diária e pela insegurança, afetados pela malnutrição e falta de cuidados médicos", disse al-Zaatari.

"A situação vai levar a uma catástrofe humanitária iminente. O princípio de deixar entrar livremente a ajuda humanitária aos civis deve ser respeitado", acrescentou o responsável da ONU.

A última ajuda humanitária que chegou àquelas quatro localidades remonta a novembro.

"Devemos agir agora, as pessoas (...) não podem esperar mais", acrescentou al-Zaatari, lamentando que a situação se tenha complicado pelos "sucessivos golpes" nas diferentes localidades.

A ONU tinha indicado em novembro que o número de pessoas que vivem nas zonas ou localidades sitiadas pelas partes em conflito na Síria foi elevado a 974.080, ou seja, quase mais 600.000 do que há um ano.

O conflito na Síria, provocado por uma sangrenta repressão dos protestos pró-democracia em março de 2011, causou mais de 310.000 mortos e deslocou mais de metade da população.

Lusa

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51
  • Trump diz que Obamacare vai "colapsar"

    Mundo

    O Presidente norte-americano tentou desvalorizar a derrota política sofrida na sexta-feira no Congresso, ao desistir da revogação da lei de saúde pública do seu antecessor, conhecida como Obamacare, afirmando que esta vai colapsar por si mesma.