sicnot

Perfil

Mundo

Trump pediu demissão de Flynn porque "perdeu a confiança" no ex-assessor 

O Presidente dos EUA, Donald Trump, pediu a demissão de Michael Flynn porque perdeu a confiança neste seu ex-assessor para a segurança nacional após as revelações dos seus contactos com a Rússia, indicou hoje o porta-voz da Casa Branca.

No decurso da conferência de imprensa diária, Sean Spicer negou que a saída do general Michael Flynn tenha sido provocada por uma questão "legal" pelas suas conversas com o embaixador russo em Washington, Serguei Kislyak, mas sobre cujo conteúdo mentiu ao vice-Presidente, Mike Pence, e a outros altos responsáveis da administração.

O porta-voz explicou que Trump foi informado há algumas semanas que Flynn não tinha dito a verdade sobre os seus contactos com Kislyak, e uma avaliação da questão motivou a "erosão dessa confiança", até à necessidade de "fazer uma mudança" na sequência de uma situação "insustentável".

No final de janeiro o Departamento de justiça advertiu a Casa Branca que Flynn poderia estar numa posição comprometida pelas suas contradições sobre os contactos com Kislyak, e inclusive poder ser vulnerável a possíveis chantagens do Kremlin.

Spicer assegurou hoje que Trump estava informado da situação desde o início, e apesar de ter concluído com os seus assessores jurídicos que não existiu transgressão da lei por parte de Flynn, decidiu pedir a renúncia por "uma questão de "confiança".

No entanto, esta situação contribuiu para aumentar as interrogações sobre as declarações de amizade de Trump face à Rússia.

O relato de Spicer contradiz uma das mais próximas conselheiras de Trump, Kellyanne Conway, que na segunda-feira, horas antes do anúncio da demissão, disse que Flynn contava com a "total confiança" do Presidente, e hoje comentou que o ex-assessor apresentou a demissão por vontade própria.

Na segunda-feira, o conselheiro para a segurança nacional do Presidente e um general condecorado que aconselhou Donald Trump em política externa durante a sua campanha para as presidenciais de 08 de novembro, foi forçado à demissão após as revelações dos 'media' sobre os seus contactos com a Rússia durante o período de transição entre o Governo de Barack Obama e o atual, e também quando o ex-Presidente estava em funções.

Algumas dessas chamadas telefónicas foram intercetadas, e segundo as transcrições Flynn e o embaixador russo falaram das sanções contra o Kremlin impostas por Obama antes de deixar a Casa Branca, como represália pela suposta ingerência russa nas eleições presidenciais norte-americanas.

No entanto, Flynn terá assegurado a Pence e a outros responsáveis que o tema das sanções não tinha sido abordado com Kislyak.

Hoje, Spencer negou rotundamente que Trump tenha dado instruções a Flynn para abordar com o embaixador russo o tema das sanções.

Lusa


  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.