sicnot

Perfil

Mundo

Lufthansa chega a acordo com pilotos para pôr fim a braço-de-ferro

© Tobias Schwarz / Reuters

A companhia aérea alemã chegou a acordo com os sindicatos para aumentar em 8,7% salários de 5.400 pilotos das companhias Lufthansa, Lufthansa Cargo e Germanwings e pôr fim a um longo diferendo salarial que custou cerca de 500 milhões de euros e mais de uma dezena de greves.

Ao aumento que deverá ser feito em 4 etapas, até 2019, acrescem prémios num volume total de cerca de 30 milhões de euros, ou seja, cerca de 5.000 a 6.000 euros por piloto. Isto corresponde a "cerca de meio mês de salário" por piloto, indicou em comunicado o Cockpit, considerado "aceitável" o compromisso alcançado.

A subida da remuneração dos pilotos vai aumentar os custos salariais do grupo em cerca de 85 milhões de euros por ano, precisou a Lufthansa. O novo acordo, que deve ainda ser aprovado pelos membros do sindicato, vai estar em vigor até ao fim de 2019.

O grupo quer compensar este custo adicional fretando 40 aviões, sem que as tripulações sejam abrangidas pelo novo acordo salarial.
No outono de 2016, a Lufthansa já tinha chegado a acordo com a Air Berlin para alugar 38 aparelhos (com tripulações incluídas) e aumentar a frota da companhia de baixo custo Eurowings, com pilotos com salários mais baixos.


O braço-de-ferro entre o sindicato Cockpit e a administração durava desde 2014. Segundo a Lufthansa, as várias greves que tiveram lugar já lhe custaram 351 milhões de euros em 2014 e 2015. Uma nova vaga de paralisações em novembro de 2016 custou 100 milhões de euros.
Há ainda outros assuntos, como as reformas, que devem ser negociados entre o sindicato e a administração.

A perspetiva de um fim para o conflito com os pilotos beneficiava as ações da Lufthansa que às 12:14 (hora de Lisboa) subiam 1,21% para 13 euros na bolsa de Frankfurt.

Com agências

  • O papel da religião no quotidiano
    24:57
  • Jane Goodall iniciou palestra com sons semelhantes aos dos chimpanzés
    2:18

    País

    A investigadora Jane Goodall esteve esta quinta-feira em Lisboa para participar numa conferência da National Geographic. A primatóloga começou o seu discurso com sons semelhantes aos dos chimpanzés. Numa entrevista à SIC, Goodall falou sobre os chimpanzés e sobre o trabalho que continua a desenvolver em todo o mundo, em prol do ambiente, dos animais e das pessoas. 

  • NATO vai aumentar luta contra o terrorismo

    Mundo

    O secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg, disse que os aliados da NATO concordaram esta quinta-feira em aumentar a luta contra o terrorismo e em "investir mais e melhor" na Aliança.

  • Trump empurra líder do Montenegro para ficar à frente na fotografia

    Mundo

    A reunião de líderes dos Estados-membros da NATO, que decorreu esta quinta-feira em Bruxelas, na Bélgica, ficou marcada por um momento insólito em que o Presidente norte-americano não quis abdicar de ficar no melhor plano possível nas fotografias de grupo. Nem que para isso tenha sido necessário empurar o líder de outro país.

  • O humor de John Kerry nas críticas a Trump
    0:40

    Mundo

    John Kerry criticou as ligações de Donald Trump com a Rússia durante um discurso de abertura, na Universidade de Harvard. O ex-secretário de Estado norte-americano disse, em tom de brincadeira, que se os jovens querem vingar na política, devem primeiro aprender a falar russo.