sicnot

Perfil

Mundo

Pyongyang alega legítima defesa pelo lançamento do míssil balístico

Programa de televisão sul-coreano mostra imagens do jornal norte-coreano Rodong Sinmun sobre o lançamento do míssil "Pukguksong-2" e o líder da Coreia do Norte Kim Jong Un.

Ahn Young-joon / AP

A Coreia do Norte alega "legítima defesa" pelo lançamento de um míssil balístico no domingo. Rejeita por isso a condenação do Conselho de Segurança da ONU que ameaça com "novas sanções significativas".

Em comunicado, o Ministério dos Negócios Estrageiros da Coreia do Norte diz que a ONU "deve encarar-nos como um Estado nuclear". "Rejeitamos categoricamente o comunicado do Conselho de Segurança da ONU que põe em causa o direito de um Estado soberano recorrer à legítima defesa", cita a agência oficial KCNA.

O míssil foi lançado na madrugada de domingo em Lisboa, a partir da base aérea de Banghyon, situada na zona oeste da Coreia do Norte, e seguiu para este, em direção ao mar do Japão, referiu a Coreia do Sul nesse dia. O míssil percorreu cerca de 500 quilómetros, até cair no mar, de acordo com o Estado-Maior Conjunto de Seul.

As resoluções da ONU proíbem Pyongyang de avançar com qualquer programa nuclear. Desde o primeiro ensaio nuclear norte-acoreano em 2006, o regime já foi alvo de seis conjuntos de sanções, que no entanto não convenceram o regime de Kim Jong-un a abandonar as ambições militares.

Em 2016, Pyongyang levou a cabo dois ensaios nucleares e lançou cerca de 20 mísseis. Tenciona desenvolver tecnologia que coloque o território norte-americano ao alcance dos seus mísseis.

O míssil lançado este domingo é o primeiro desde a entrada em funções do Presidente norte-americano Donald Trump, considerado por isso um claro desafio à nova administração.

Trump prometeu um "resposta forte" à Coreia do Norte, que constitui "um grande, grande problema".

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Morreu o companheiro de Nelson Mandela

    Mundo

    Ahmed Kathrada, activista e ícone sul-africano que lutou ao lado de Mandela contra o "apartheid" morreu hoje aos 87 anos, informou a fundação de caridade Kathrada.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.