sicnot

Perfil

Mundo

Pyongyang alega legítima defesa pelo lançamento do míssil balístico

Programa de televisão sul-coreano mostra imagens do jornal norte-coreano Rodong Sinmun sobre o lançamento do míssil "Pukguksong-2" e o líder da Coreia do Norte Kim Jong Un.

Ahn Young-joon / AP

A Coreia do Norte alega "legítima defesa" pelo lançamento de um míssil balístico no domingo. Rejeita por isso a condenação do Conselho de Segurança da ONU que ameaça com "novas sanções significativas".

Em comunicado, o Ministério dos Negócios Estrageiros da Coreia do Norte diz que a ONU "deve encarar-nos como um Estado nuclear". "Rejeitamos categoricamente o comunicado do Conselho de Segurança da ONU que põe em causa o direito de um Estado soberano recorrer à legítima defesa", cita a agência oficial KCNA.

O míssil foi lançado na madrugada de domingo em Lisboa, a partir da base aérea de Banghyon, situada na zona oeste da Coreia do Norte, e seguiu para este, em direção ao mar do Japão, referiu a Coreia do Sul nesse dia. O míssil percorreu cerca de 500 quilómetros, até cair no mar, de acordo com o Estado-Maior Conjunto de Seul.

As resoluções da ONU proíbem Pyongyang de avançar com qualquer programa nuclear. Desde o primeiro ensaio nuclear norte-acoreano em 2006, o regime já foi alvo de seis conjuntos de sanções, que no entanto não convenceram o regime de Kim Jong-un a abandonar as ambições militares.

Em 2016, Pyongyang levou a cabo dois ensaios nucleares e lançou cerca de 20 mísseis. Tenciona desenvolver tecnologia que coloque o território norte-americano ao alcance dos seus mísseis.

O míssil lançado este domingo é o primeiro desde a entrada em funções do Presidente norte-americano Donald Trump, considerado por isso um claro desafio à nova administração.

Trump prometeu um "resposta forte" à Coreia do Norte, que constitui "um grande, grande problema".

  • Voluntários portugueses rumam ao México com cães de salvamento
    1:59

    Mundo

    Nuno Vieira e Marco Saraiva são voluntários de Braga. Com os seus dois cães, "Koi" e "Yuki", formam uma equipa de resgate e partem esta noite para o México, para ajudar na busca e salvamento de vítimas do terramoto que abalou o país esta terça-feira. A equipa portuguesa faz parte de uma ONG espanhola.

  • Furacão Maria deixa rasto de destruição em Porto Rico
    1:16
  • Sabe onde fica a Nambia? Algures em África, segundo Trump

    Mundo

    "O sistema de saúde na Nambia é incrivelmente autossuficiente", declarou o Presidente dos Estados Unidos num discurso proferido num almoço com líderes africanos. No encontro, realizado esta quarta-feira à margem da 72.ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova Iorque, Donald Trump repetiu o erro. Os utilizadores das redes sociais não perdoaram mais este "lapso" do chefe de Estado norte-americano.

  • DGS garante que não há perigo de dengue
    2:09
  • Episódio da Abelha Maia censurado por queixas de obscenidade

    Cultura

    A plataforma digital Netflix viu-se obrigada a retirar um episódio da Abelha Maia depois das queixas de pais norte-americanos por causa de um "desenho obsceno", em forma de pénis. Aparentemente, terá sido só removido para quem acede nos EUA dado que, ao que a SIC pôde constatar, a partir de Portugal o episódio 35 está disponível.

  • Yoko Ono obriga limonada "John Lemon" a mudar de nome

    Cultura

    A viúva do Beatle John Lennon ameaçou processar uma empresa de bebidas polaca por causa da limonada "John Lemon". Yoko Ono não terá gostado do trocadilho entre Lennon e Lemon (limão, em inglês) e quer ver toda e qualquer garrafa com este rótulo retirada do mercado.

  • Restaurante em prisão na Colômbia serve comida confecionada por detidas
    1:04