sicnot

Perfil

Mundo

Trump atribui saída de Flynn à comunicação social

© Carlos Barria / Reuters

Donald Trump culpou esta quarta-feira os meios de comunicação "falsos" e as fugas de informação "ilegais" pela renúncia de Michael Flynn como dirigente do Conselho de Segurança Nacional, depois de ter mentido sobre os seus contactos com a Federação Russa.

Durante uma conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, Trump disse que a comunicação social "tinha tratado mal, muito injustamente" Flynn, cuja renúncia ele próprio exigiu, depois de ter perdido a confiança neste general reformado, segundo a Casa Branca.

O que aconteceu com Flynn, de quem disse ser um "homem maravilhoso", "é injusto", reforçou Trump.

Segundo Trump, tudo isto pretende apenas "encobrir" a "derrota terrível" que os democratas sofreram a candidatura presidencial de Hillary Clinton, nas eleições de 08 de novembro.

Estes foram os primeiros comentários de Trump sobre a renúncia de Flynn, anunciada na segunda-feira.

Flynn mentiu ao vice-presidente, Mike Pence, e a outros dirigentes sobre os seus contactos com o embaixador russo em Washington, Sergey Kislyak, com quem falou sobre as sanções contra o Kremlin impostas pelo ex-presidente Barack Obama.

Trump decidiu exigir-lhe que renunciasse porque perdeu a confiança nele, segundo a Casa Branca.

No final da conferência de imprensa com Netanyahu, Trump recusou responder a perguntas de vários jornalistas sobre as informações que apontam para as suas "conexões" com os russos, designadamente as de vários assessores da sua campanha eleitoral com agentes dos serviços de informações russos.

Lusa

  • José Eduardo dos Santos há 38 anos no poder
    2:42

    Mundo

    José Eduardo dos Santos foi o segundo Presidente com mais tempo de liderança a nível mundial, quase 38 anos. Este ano, anunciou que não voltaria a concorrer às eleições, mas mantêm-se, por enquanto, como presidente do MPLA. No dia em que os angolanos foram às urnas para escolher o seu sucessor, apresentamos a vida de José Eduardo dos Santos.

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.