sicnot

Perfil

Mundo

Trump atribui saída de Flynn à comunicação social

© Carlos Barria / Reuters

Donald Trump culpou esta quarta-feira os meios de comunicação "falsos" e as fugas de informação "ilegais" pela renúncia de Michael Flynn como dirigente do Conselho de Segurança Nacional, depois de ter mentido sobre os seus contactos com a Federação Russa.

Durante uma conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, Trump disse que a comunicação social "tinha tratado mal, muito injustamente" Flynn, cuja renúncia ele próprio exigiu, depois de ter perdido a confiança neste general reformado, segundo a Casa Branca.

O que aconteceu com Flynn, de quem disse ser um "homem maravilhoso", "é injusto", reforçou Trump.

Segundo Trump, tudo isto pretende apenas "encobrir" a "derrota terrível" que os democratas sofreram a candidatura presidencial de Hillary Clinton, nas eleições de 08 de novembro.

Estes foram os primeiros comentários de Trump sobre a renúncia de Flynn, anunciada na segunda-feira.

Flynn mentiu ao vice-presidente, Mike Pence, e a outros dirigentes sobre os seus contactos com o embaixador russo em Washington, Sergey Kislyak, com quem falou sobre as sanções contra o Kremlin impostas pelo ex-presidente Barack Obama.

Trump decidiu exigir-lhe que renunciasse porque perdeu a confiança nele, segundo a Casa Branca.

No final da conferência de imprensa com Netanyahu, Trump recusou responder a perguntas de vários jornalistas sobre as informações que apontam para as suas "conexões" com os russos, designadamente as de vários assessores da sua campanha eleitoral com agentes dos serviços de informações russos.

Lusa

  • Passos Coelho pede desculpa aos portugueses
    3:35
  • População afetada pelo fogo tenta repor o que as chamas destruíram
    1:54
  • Pyongyang compara Trump a Hitler

    Mundo

    A Coreia do Norte compara o Presidente norte-americano Donald Trump a Adolf Hitler. Pyongyang já acostumou o mundo à sua linguagem "colorida" quando critica os seus inimigos. Mas comparações com o responsável por mais de 60 milhões de mortes são muito raras.

  • Glifosato na lista de produtos cancerígenos na Califórnia

    Mundo

    O estado norte-americano da Califórnia, nos Estados unidos, pode vir a obrigar o fabricante do popular herbicida Roundup a comercializar o produto com um rótulo que informe os consumidores de que o produto é cancerígeno. O glifosato, princípio ativo do herbicida Roundup fabricado pela Monsanto, consta de uma lista que vai ser divulgada na Califórnia, a 7 de julho, de produtos químicos potencialmente cancerígenos.

  • Autarca garante que não houve "touros de fogo"

    País

    O presidente da Câmara de Benavente disse esta segunda-feira à Lusa que a atividade "touros de fogo" foi retirada do programa da Festa da Amizade depois de recebido um parecer desfavorável da Direção-Geral de Veterinária.