sicnot

Perfil

Mundo

Trump atribui saída de Flynn à comunicação social

© Carlos Barria / Reuters

Donald Trump culpou esta quarta-feira os meios de comunicação "falsos" e as fugas de informação "ilegais" pela renúncia de Michael Flynn como dirigente do Conselho de Segurança Nacional, depois de ter mentido sobre os seus contactos com a Federação Russa.

Durante uma conferência de imprensa conjunta com o primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, Trump disse que a comunicação social "tinha tratado mal, muito injustamente" Flynn, cuja renúncia ele próprio exigiu, depois de ter perdido a confiança neste general reformado, segundo a Casa Branca.

O que aconteceu com Flynn, de quem disse ser um "homem maravilhoso", "é injusto", reforçou Trump.

Segundo Trump, tudo isto pretende apenas "encobrir" a "derrota terrível" que os democratas sofreram a candidatura presidencial de Hillary Clinton, nas eleições de 08 de novembro.

Estes foram os primeiros comentários de Trump sobre a renúncia de Flynn, anunciada na segunda-feira.

Flynn mentiu ao vice-presidente, Mike Pence, e a outros dirigentes sobre os seus contactos com o embaixador russo em Washington, Sergey Kislyak, com quem falou sobre as sanções contra o Kremlin impostas pelo ex-presidente Barack Obama.

Trump decidiu exigir-lhe que renunciasse porque perdeu a confiança nele, segundo a Casa Branca.

No final da conferência de imprensa com Netanyahu, Trump recusou responder a perguntas de vários jornalistas sobre as informações que apontam para as suas "conexões" com os russos, designadamente as de vários assessores da sua campanha eleitoral com agentes dos serviços de informações russos.

Lusa

  • Mário Centeno lidera hoje a primeira reunião do Eurogrupo
    1:56
  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

  • Quem são os arguidos da operação Fizz
    2:29

    País

    É já considerado o julgamento do ano da justiça portuguesa e o caso que está a abalar as relações entre Portugal e Angola. O processo da operação Fizz tem quatro arguidos, mas um deles, já é certo, não irá sentar-se esta segunda-feira no banco dos réus.

  • Que shutdown é este que paralisou os EUA?
    2:27
  • Casal que mantinha filhos acorrentados queria participar num reality show
    3:15
  • Quase 100 atletas testemunharam contra médico Larry Nassar
    1:38

    Desporto

    Quase 100 atletas e antigas ginastas da seleção dos Estados Unidos da América confrontaram esta semana, em tribunal, o médico Larry Nassar, acusado de assédio sexual. Em dezembro, o clínico foi condenado a 60 anos de prisão por um tribunal do Michigan, por posse de pornografia infantil.