sicnot

Perfil

Mundo

"Atacar jornalistas no exercício do seu trabalho é uma agressão contra a liberdade de expressão"

A organização Repórteres Sem Fronteiras (SEF) pediu esta quarta-feira às autoridades da República Dominicana para que identifiquem o "mais rapidamente possível" os responsáveis pelo assassínio de dois jornalistas no país.

"Atacar jornalistas no exercício do seu trabalho é uma agressão caracterizada contra a liberdade de expressão. Os Repórteres Sem Fronteiras dão todo o seu apoio aos jornalistas dominicanos e às famílias das vítimas", referiu, em comunicado, Emmanuel Colombié, diretor da América Latina da organização.

Os dois jornalistas foram hoje mortos por um desconhecido que entrou nas instalações da rádio onde trabalhavam na cidade de San Pedro de Macorís, a leste de Santo Domingo.

A organização sublinha que a tragédia ocorreu um dia depois de ter alertado para a vulnerabilidade das emissoras de rádio da América Latina, sobretudo as situadas nas zonas rurais.

Lusa

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.