sicnot

Perfil

Mundo

Células dos tecidos ajudam vírus do VIH a propagar infeção

À esquerda, tecido muscular de um rato velho. À direita, tecido muscular de um rato velho submetido à reprogramação das células.

Salk Institute

Cientistas norte-americanos e europeus descobriram que há células do corpo humano que ajudam o vírus do VIH a infetar outras células, o que esperam que possa levar a novos métodos para prevenir a transmissão.

As células encontram-se na camada que protege o sistema reprodutor e o trato intestinal, a mucosa, que pode ser atravessada pelo vírus quando tem brechas provocadas por lesões físicas ou algumas doenças sexualmente transmitidas.

Na investigação do Instituto Gladstone, Universidade da Califórnia e dos seus colaboradores na Europa, descobriu-se que as células deste tecido que envolve os órgãos, os fibroblastos, transportam o vírus até às células imunitárias, mas sem ficarem infetados.

Examinaram fibroblastos do cérvix, útero, prepúcio, uretra masculina e intestinos, tudo pontos de entrada do VIH, e viram que os fibroblastos transportam o vírus e ainda tornam as células imunitárias mais propensas a serem infetadas.

Os cientistas vão agora tentar perceber como é que isto acontece e esperam com isso ter novas pistas sobre como evitar a infeção.

Por oposição, outro tipo de células daos tecidos da mucosa, as epiteliais, servem como uma barreira contra substâncias prejudiciais.

A hipótese colocada pelos investigadores é que as brechas na mucosa permitem ao vírus passar pelos tecidos sem encontrar oposição e arranjar depois uma forma de transporte nos fibroblastos.

Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.