sicnot

Perfil

Mundo

E se pedisse um emprego ao patrão do Google? Uma menina de 7 anos pediu e teve resposta

Rita Ferro

Jornalista

Uma menina de 7 anos de idade escreveu ao patrão do Google para pedir um emprego. Aqui está a resposta do CEO.

O pior que pode acontecer é um não, certo?

Foi o que pensou Chloe Bridgewater de 7 anos de idade, que mora em Hereford, no Reino Unido. A menina escreveu uma carta ao Google a pedir emprego.

"Depois de ver imagens dos escritórios da Google, com karts e slides, a minha filha de 7 anos decidiu escrever para ver se lhe davam um emprego", Andy Bridgewater escreveu no LinkedIn.

Como um verdadeiro candidato qualificado, no currículo Chloe enumerou os seus pontos fortes: "Eu gosto de computadores e tenho um tablet onde faço jogos" e explicou por que acreditava que seria uma mais valia para a empresa.

E ainda deu referências: "Os meus professores disseram aos meus pais que eu me porto muito bem na sala de aula e sou boa em ortografia, leitura e contas". Na carta acrescenta que também gostava de trabalhar numa fábrica de chocolates e nadar nos Jogos Olímpicos. E alertou para o facto de que esta seria a sua primeira candidatura, e, virtualmente, a primeira carta:

"Eu só enviei outra e foi para o Pai Natal."

A carta chamou a atenção do CEO do Google, Sundar Pichai, que escreveu de volta com um incentivo:

"Acho que se você continuar a trabalhar assim e seguir os seus sonhos, você pode realizar tudo o que quiser - desde trabalhar no Google até nadar nos Jogos Olímpicos. Estou ansioso para receber a sua candidatura de emprego quando tiver terminado a escola!".

Um porta-voz do Google confirmou à CNBC que a carta é, de facto, real.

  • Tiroteio no Mississipi provoca oito mortos
    1:23

    Mundo

    Oito pessoas morreram, incluindo um polícia, depois de um tiroteio no estado norte-americano do Mississipi, nos Estados Unidos da América. O suspeito, um homem de 36 anos, já foi detido, mas as autoridades dizem que ainda é cedo para saber os motivos.

  • Milhares de brasileiros protestam na Praia de Copacabana contra Temer
    3:04
  • Portugal vai voltar a poder levantar a voz em Bruxelas
    1:40
  • Trump adia decisão sobre permanência nos acordos de Paris
    1:48
  • Polícia usa gás lacrimogéneo para dispersar manifestantes contra cimeira do G7
    2:28

    Mundo

    A cimeira do G7 terminou este sábado com confrontos entre manifestantes e a polícia na ilha italiana da Sicília e sem o compromisso de Donald Trump sobre o Acordo de Paris para a redução de emissões de dióxido de carbono. O Presidente dos EUA fez saber na rede social Twitter que vai tomar a decisão final durante a próxima semana.