sicnot

Perfil

Mundo

E se pedisse um emprego ao patrão do Google? Uma menina de 7 anos pediu e teve resposta

Rita Ferro

Jornalista

Uma menina de 7 anos de idade escreveu ao patrão do Google para pedir um emprego. Aqui está a resposta do CEO.

O pior que pode acontecer é um não, certo?

Foi o que pensou Chloe Bridgewater de 7 anos de idade, que mora em Hereford, no Reino Unido. A menina escreveu uma carta ao Google a pedir emprego.

"Depois de ver imagens dos escritórios da Google, com karts e slides, a minha filha de 7 anos decidiu escrever para ver se lhe davam um emprego", Andy Bridgewater escreveu no LinkedIn.

Como um verdadeiro candidato qualificado, no currículo Chloe enumerou os seus pontos fortes: "Eu gosto de computadores e tenho um tablet onde faço jogos" e explicou por que acreditava que seria uma mais valia para a empresa.

E ainda deu referências: "Os meus professores disseram aos meus pais que eu me porto muito bem na sala de aula e sou boa em ortografia, leitura e contas". Na carta acrescenta que também gostava de trabalhar numa fábrica de chocolates e nadar nos Jogos Olímpicos. E alertou para o facto de que esta seria a sua primeira candidatura, e, virtualmente, a primeira carta:

"Eu só enviei outra e foi para o Pai Natal."

A carta chamou a atenção do CEO do Google, Sundar Pichai, que escreveu de volta com um incentivo:

"Acho que se você continuar a trabalhar assim e seguir os seus sonhos, você pode realizar tudo o que quiser - desde trabalhar no Google até nadar nos Jogos Olímpicos. Estou ansioso para receber a sua candidatura de emprego quando tiver terminado a escola!".

Um porta-voz do Google confirmou à CNBC que a carta é, de facto, real.

  • Atrás das Câmaras em Mirandela
    2:36

    Atrás das Câmaras

    A SIC está a percorrer o pais para ouvir as historias dos municípios e dos eleitores. Até às autárquicas, o programa opinião pública dá lugar ao Atrás das Câmaras, que hoje está em Mirandela, no distrito de Bragança, como conta a repórter Catarina Lázaro.

    Hoje na SIC e SIC Notícias

  • Ambiente e direitos humanos dominam discurso de Costa na ONU
    2:03
  • "Não é possível fazer tudo ao mesmo tempo"
    0:39

    Orçamento do Estado 2018

    O deputado e economista do PS Paulo Trigo Pereira defende que o desagravamento fiscal que o Governo quer pôr em marcha é "moderado". Em entrevista ao Público e à Renascença, o socialista diz que é preciso realismo e que é uma "alquimia" mexer ao mesmo tempo nas carreiras, pensões e rendimentos dos trabalhadores.

  • Como fazer negócios no mercado dos leilões
    7:15