sicnot

Perfil

Mundo

Finlândia aumenta efetivos militares mobilizáveis com 50.000 tropas

A Finlândia anunciou hoje que vai aumentar em 50.000 o número de efetivos militares mobilizáveis em caso de conflito, num contexto de rearmamento da vizinha Rússia.

A Finlândia, que não é membro da NATO, vai aumentar aqueles efetivos de 230.000 para 280.000 para "melhorar a capacidade de defender a totalidade do território nacional", anunciou o governo num relatório.

O país tem uma fronteira de 1.340 quilómetros com a Rússia.

"A Rússia ambiciona reforçar o seu estatuto de grande potência e afirma o objetivo de um regime de segurança assente na esfera de influência", afirma o relatório, frisando que a estabilidade geopolítica no Mar Báltico se degradou.

O aumento de efetivos tem um custo estimado de 55 milhões de euros na despesa anual em Defesa, atualmente de 2,4 mil milhões de euros.

A Finlândia lançou recentemente um processo de modernização da Marinha e de aquisição de aeronaves.

O ministro da Defesa, Petteri Orpo, defendeu que a despesa em Defesa deve aumentar 0,3 a 0,4 pontos percentuais do Produto Interno Bruto (PIB) para atingir 1,5% ou 1,6% em 2020, para ficar "a um bom ou muito bom nível na Europa".

Lusa


  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01