sicnot

Perfil

Mundo

Finlândia aumenta efetivos militares mobilizáveis com 50.000 tropas

A Finlândia anunciou hoje que vai aumentar em 50.000 o número de efetivos militares mobilizáveis em caso de conflito, num contexto de rearmamento da vizinha Rússia.

A Finlândia, que não é membro da NATO, vai aumentar aqueles efetivos de 230.000 para 280.000 para "melhorar a capacidade de defender a totalidade do território nacional", anunciou o governo num relatório.

O país tem uma fronteira de 1.340 quilómetros com a Rússia.

"A Rússia ambiciona reforçar o seu estatuto de grande potência e afirma o objetivo de um regime de segurança assente na esfera de influência", afirma o relatório, frisando que a estabilidade geopolítica no Mar Báltico se degradou.

O aumento de efetivos tem um custo estimado de 55 milhões de euros na despesa anual em Defesa, atualmente de 2,4 mil milhões de euros.

A Finlândia lançou recentemente um processo de modernização da Marinha e de aquisição de aeronaves.

O ministro da Defesa, Petteri Orpo, defendeu que a despesa em Defesa deve aumentar 0,3 a 0,4 pontos percentuais do Produto Interno Bruto (PIB) para atingir 1,5% ou 1,6% em 2020, para ficar "a um bom ou muito bom nível na Europa".

Lusa


  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".