sicnot

Perfil

Mundo

Forças Armadas acusam EUA de destabilizar a Venezuela com sanções

© Carlos Jasso / Reuters

As Forças Armadas (FA) venezuelanas criticaram esta quarta-feira as sanções impostas pelo Tesouro dos EUA ao vice-Presidente da Venezuela, Tarek El Aissami, dizendo que são "acusações infundadas" e expressam-lhe "apoio incondicional".

"As Forças Armadas Bolivarianas expressam a mais categórica condena um novo ato de ingerência dos EUA, através do Departamento do Tesouro, que atenta de maneira vil contra o cidadão Tarek El Aissami, vice-Presidente da Venezuela, a quem injustamente pretendem manchar a honorabilidade, formulando acusações absolutamente carentes de fundamento e legalidade", refere um comunicado hoje divulgado.

O documento, assinado pelo ministro venezuelano da Defesa, general Vladimir Padrino López, explica que, "como parte da tradicional política intervencionista e imperialista", o Departamento do Tesouro dos EUA assume "atribuições extra-territoriais que violam flagrantemente elementares princípios do direito internacional, com o ignóbil e maquiavélico propósito de minar a imagem do poder executivo e consequentemente a institucionalidade, governabilidade e estabilidade do país" e a revolução bolivariana.

"Para esta nova agressão, recorrem os EUA a organismos tão desprestigiados como a DEA (agência anti-droga norte americana), cuja peculiar amoralidade não tem comparação no mundo inteiro, pois a sua nefasta estrutura sistematicamente é usada de maneira criminosa para afetar Estados e Governos progressistas em função de escuros interesses", afirmam.

O documento termina sublinhando que as FA têm "a certeza de que a altura moral e convicções revolucionárias" de Tarek El Aissami, lhe permitirão "mostrar-se vitorioso sobre a perfídia e premeditação com que hoje é agredido".

"Defenderemos com estoicismo e estrito apelo à Constituição e às leis, à soberania e independência da Pátria, assim como o sentimento de dignidade de todos os filhos e filhas de (Simón) Bolívar e de (Hugo) Chávez", conclui.

Os EUA impuseram, segunda-feira, sanções financeiras contra o número dois do chavismo, o vice-Presidente da Venezuela, Tarek El Aissami, a quem acusam de ter "facilitado a entrega de drogas" em troca de pagamentos.

As sanções são o "culminar de vários anos de investigação aos principais traficantes de drogas para os Estados Unidos e demonstram que a influência e o poder não protegem aqueles que se envolvem em atividades ilegais", refere, em comunicado, o Departamento do Tesouro.

Tarek El Aissami, 42 anos, um dos líderes mais influentes do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), no poder desde 1999, foi nomeado para a vice-Presidência do país em janeiro.

Lusa

  • Voluntários portugueses rumam ao México com cães de salvamento
    1:59

    Mundo

    Nuno Vieira e Marco Saraiva são voluntários de Braga. Com os seus dois cães, "Koi" e "Yuki", formam uma equipa de resgate e partem esta noite para o México, para ajudar na busca e salvamento de vítimas do terramoto que abalou o país esta terça-feira. A equipa portuguesa faz parte de uma ONG espanhola.

  • Furacão Maria deixa rasto de destruição em Porto Rico
    1:16
  • Sabe onde fica a Nambia? Algures em África, segundo Trump

    Mundo

    "O sistema de saúde na Nambia é incrivelmente autossuficiente", declarou o Presidente dos Estados Unidos num discurso proferido num almoço com líderes africanos. No encontro, realizado esta quarta-feira à margem da 72.ª Assembleia-Geral da ONU, em Nova Iorque, Donald Trump repetiu o erro. Os utilizadores das redes sociais não perdoaram mais este "lapso" do chefe de Estado norte-americano.

  • DGS garante que não há perigo de dengue
    2:09
  • Episódio da Abelha Maia censurado por queixas de obscenidade

    Cultura

    A plataforma digital Netflix viu-se obrigada a retirar um episódio da Abelha Maia depois das queixas de pais norte-americanos por causa de um "desenho obsceno", em forma de pénis. Aparentemente, terá sido só removido para quem acede nos EUA dado que, ao que a SIC pôde constatar, a partir de Portugal o episódio 35 está disponível.

  • Yoko Ono obriga limonada "John Lemon" a mudar de nome

    Cultura

    A viúva do Beatle John Lennon ameaçou processar uma empresa de bebidas polaca por causa da limonada "John Lemon". Yoko Ono não terá gostado do trocadilho entre Lennon e Lemon (limão, em inglês) e quer ver toda e qualquer garrafa com este rótulo retirada do mercado.

  • Restaurante em prisão na Colômbia serve comida confecionada por detidas
    1:04