sicnot

Perfil

Mundo

OMS alerta para risco de febre amarela no Brasil antes do Carnaval

A Organização Mundial da Saúde (OMS) publicou um novo alerta sobre os riscos de contaminação por febre-amarela no Brasil, onde se registou uma evolução da doença antes do Carnaval, que se celebra de 24 a 28 de fevereiro.

Segundo a instituição, a "transmissão do vírus da febre-amarela continua a expandir-se para a costa atlântica do Brasil em áreas não consideradas em risco de transmissão antes da revisão da avaliação de risco, publicada de 27 de janeiro", que agora inclui também cidades do estado da Baía.

No Espírito Santo, estado brasileiro onde a doença foi detetada primeiramente em macacos, existe risco de transmissão da febre-amarela em todos os municípios, com exceção da área urbana da capital, Vitória.

No Rio de Janeiro, há risco de transmissão da febre-amarela nos municípios da região norte, que fazem fronteira com os estados de Minas Gerais e Espírito Santo.

Diante deste quadro, a OMS recomenda que os viajantes que pretendem visitar o Brasil se vacinem contra febre-amarela pelo menos 10 dias antes da viagem.

Aos viajantes com contraindicação para a vacina contra a febre-amarela - crianças com menos de 9 meses, mulheres grávidas ou lactantes, pessoas com hipersensibilidade grave, imunodeficiência grave e idosos com mais de 60 anos - a OMS recomenda uma consulta médica para obter aconselhamento.

Além destas medidas, a OMS reforça que é importante os turistas adotarem medidas para evitar picadas de mosquitos e conheçam os sintomas da doença que são febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vómitos durante cerca de três dias.

O órgão de saúde mundial recomenda ainda aos viajantes que apresentem estes sintomas que procurem atendimento durante a viagem e ao regressarem de áreas com risco de transmissão da febre-amarela.

O Ministério da Saúde do Brasil divulgou um novo boletim sobre o avanço da febre-amarela no país na última terça-feira, confirmando 80 mortes causadas pela doença.

O órgão de saúde brasileiro informou ainda que já recebeu 1.230 notificações de casos de febre-amarela desde que um novo surto foi detetado no final do ano passado. Destas, 890 casos estão em investigação, 234 foram confirmados e 106 foram descartados.

Os estados afetados são Minas Gerais, Espírito Santo, Baía, São Paulo e Tocantins.

Neste último boletim, o ministério acrescentou o estado do Rio Grande do Norte, que também registou notificações de casos suspeitos.

Lusa


  • O resgate dos passageiros do naufrágio em Cascais
    1:48
  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01
  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC

  • Presidente do Uganda quer proibir sexo oral

    Mundo

    O Presidente do Uganda emitiu um aviso público durante um conferência de imprensa anunciando que vai banir a prática de sexo oral no país. Yoweri Museveni justifica o ato, explicando que "a boca serve para comer".

    SIC