sicnot

Perfil

Mundo

Supremo da Venezuela confirma condenação do líder da oposição

© Carlos Garcia Rawlins / Reute

O Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela ratificou esta quinta-feira a condenação a quase 14 anos de prisão do líder mais radical da oposição política do país Leopoldo López, informou o seu advogado de defesa, Juan Carlos Gutiérrez.

"O recurso foi considerado inadmissível, temos a possibilidade de tentar uma ação internacional", explicou o advogado de defesa, sublinhando que o caso de Leopoldo López está encerrado na Venezuela.

Leopoldo López foi condenado a 10 de setembro de 2015 a 13 anos e nove meses de prisão por um tribunal de Caracas.

A condenação é a máxima para os crimes de que estava acusado, nomeadamente instigação pública, associação criminosa, danos à propriedade e incêndio em relação às violentas manifestações de fevereiro de 2014, que provocaram vários mortos.

O partido fundado por Leopoldo López, Vontade Popular, convocou para sábado uma manifestação para assinalar o terceiro ano da sua prisão.

O ex-presidente do Governo espanhol Felipe González acusou hoje Supremo Tribunal de Justiça da Venezuela de cometer "um crime de prevaricação" ao ratificar a condenação.

Felipe González, que participou hoje com o também antigo Presidente do Governo espanhol José María Aznar num ato em Madrid para pedir a libertação do político venezuelano, considerou a decisão "nula de pleno direito, arbitrária e completamente injusta".

"O Tribunal sabe que comete um crime de prevaricação, o mais grave que pode atribuir-se aos juízes. São conscientes de estar a condenar um inocente só por ser um líder da oposição à tirania de Maduro", disse.

Lusa

  • Traço contínuo às curvas
    2:42
  • Quando se pode circular pela esquerda? A GNR explica (e fiscaliza)
    5:46

    Edição da Manhã

    A regra aplica-se a autoestradas e outras vias com esse perfil mas dentro das localidades há exceções. A Guarda Nacional Republicana está a promover em todo o território nacional várias ações de sensibilização e fiscalização no sentido de prevenir e reprimir a circulação de veículos pela via do meio ou da esquerda quando não exista tráfego nas vias da direita. O major Paulo Gomes, da GNR, esteve na Edição da Manhã. 

  • Jovens impedidas de embarcar de leggings

    Mundo

    A moda das calças-elásticas-super-justas volta a fazer estragos. Desta vez nos EUA onde duas adolescentes foram impedidas de embarcar num voo da United Airlines devido à indumentária, que não cumpria com as regras dos tripulantes ou acompanhantes da companhia aérea norte-americana.

    Manuela Vicêncio

  • Cristas calcula défice de 3,7% sem "cortes cegos" das cativações
    0:45

    Economia

    Assunção Cristas diz que o défice de 2,1% só foi conseguido porque o Governo fez cortes cegos na despesa pública. Esta manhã, depois de visitar uma unidade de cuidados continuados em Sintra, a presidente do CDS-PP afirmou que, pelas contas do partido, sem cativações, o défice estaria nos 3,7%.

  • O pedido de desculpas de Dijsselbloem
    2:12

    Mundo

    O Governo português continua a mostrar a indignação que diz sentir perante as declarações do presidente do Eurogrupo. O ministro dos Negócios Estrangeiros português garante que com Dijsselbloem "não há conversa possível". Jeroen Dijsselbloem começou por recusar pedir desculpa mas depois cedeu perante a onda de indignação.