sicnot

Perfil

Mundo

Trump diz que a sua administração é uma máquina afinada à perfeição

© Kevin Lamarque / Reuters

O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, disse esta quinta-feira que a sua administração funciona como uma "máquina afinada à perfeição", rejeitando assim notícias que a descrevem como um "caos" e citam fontes republicanas que falam em fricções internas.

Numa conferência de imprensa na Casa Branca, Trump procurou afastar a ideia de que o seu Governo - em funções há apenas quatro semanas e envolvido em múltiplas polémicas - funciona mal, com fricções na equipa, e tem feito pouco.

A imprensa norte-americana, especialmente o New York Times e a CNN, têm avançado notícias que dão conta de uma luta pelo poder entre a equipa de Trump, bem como faltas de comunicação entre os seus conselheiros e assessores.

"A minha equipa funciona como uma máquina afinada à perfeição", afirmou Trump em frente aos jornalistas, reiterando os ataques contra a imprensa, voltando a referir que se trata de "imprensa desonesta" que veicula "notícias falsas".

Trump disse que os 'media' norte-americanos servem grupos de "interesse especiais" e pessoas que lucram com "um sistema que obviamente está muito, muito errado".

"A imprensa tornou-se tão desonesta que se não falarmos disso, estaremos a prestar um tremendo mau serviço ao povo americano", frisou.Trump afirmou ainda que a única coisa que está a fazer é cumprir as suas "promessas de campanha", no sentido de "devolver o Governo ao povo", mas ressalvou que herdou uma "confusão" na Casa Branca.

"Para ser honesto, eu herdei uma confusão. É uma confusão. Internamente e no exterior. Uma confusão", disse Trump.

Lusa

  • Trump anuncia Alexander Acosta para Secretário do Trabalho

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou esta quinta-feira o nome de Alexander Acosta para liderar o Departamento do Trabalho, que poderá assim, caso seja confirmado pelo Senado, tornar-se no primeiro hispânico da nova administração norte-americana.

  • Ministro da Defesa considera "importante" pressão dos EUA
    0:29

    País

    Em declarações no final da reunião da NATO, em Bruxelas, Azeredo Lopes considerou "importante" a pressão dos EUA para com os restantes membros da organização. O novo secretário da Defesa norte-americana garantiu, ontem, que a administração Trump vai moderar o compromisso com a Aliança Atlântica caso os restantes membros não cumpram o objetivo de alocar pelo menos 2% do PIB para a defesa militar.

  • "Há um compromisso forte das elites norte-americanas com a NATO"
    4:05

    Mundo

    Daniel Pinéu considera que existe um forte compromisso das elites norte-americanas com a NATO, mas tem duvidas do verdadeiro comprometimento da administração Trump com a instituição. O especialista em assuntos internacionais entende que as declarações do secretário da Defesa, sobre a necessidade de serem cumpridos os 2% dos PIB destinados à defesa, significam um pedido de ajuda da Mattis para que, atingida essa percentagem, ainda seja possível mudar a visão da administração Trump em relação à NATO.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Morreu Miguel Beleza

    País

    Miguel Beleza, economista e antigo ministro das Finanças, morreu esta quinta-feira de paragem cardio-respiratória aos 67 anos.

  • "Estamos a ficar sem espaço. Está na hora de explorar outros sistemas solares"

    Mundo

    O físico e cientista britânico Stephen Hawking revelou alguns dos seus desejos para um novo plano de expansão espacial. Hawking está em Trondheim, na Noruega, para participar no Starmus Festival que promove a cultura científica. E foi lá que o físico admitiu que a população mundial está a ficar sem espaço na Terra e que "os únicos lugares disponíveis para irmos estão noutros planetas, noutros universos".

    SIC

  • Não posso usar calções... visto saias

    Mundo

    Perante a proibição de usar calções no emprego, um grupo de motoristas franceses adotou uma nova moda para combater o calor. Os trabalhadores decidiram trocar as calças por saias, visto que a peça de roupa é permitida no uniforme da empresa para a qual trabalham.

  • De refugiada a modelo: a história de Mari Malek

    Mundo

    Mari Malek chegou aos Estados Unidos da América quando era ainda uma criança. Chegada do Sudão do Sul, a menina era uma refugiada à procura de um futuro melhor, num país que não era o seu. Agora, anos depois, Mari Malek é modelo, DJ e atriz, e vive em Nova Iorque. Fundou uma organização sediada no país onde nasceu voltada para as crianças que passam por dificuldade, como também ela passou.