sicnot

Perfil

Mundo

Londres vai taxar veículos mais poluentes

© Neil Hall / Reuters

O mayor de Londres Sadiq Khan anunciou hoje a introdução a partir de outubro de uma taxa de 10 libras (cerca de 11,7 euros) para os veículos anteriores a 2006 a circular na cidade.

"Todos os anos, mais de 90 mil londrinos morrem por causa da má qualidade do ar. A inação já não é uma opção", disse o autarca em conferência de imprensa.

A nova taxa junta-se à portagem urbana, de 11,5 libras (13,5 euros), de segunda a sexta-feira entre as 7h00 e as 18h00, com exceção para residentes e veículos pouco poluentes, existen desde 2003.

Nos primeiros 5 anos desta medida, as concentrações de partículas poluentes diminuiu cerca de 3% nesta zona, na área exterior diminuiu cerca de 1%, mas não houve variações significativas na concentração de óxidos de azoto.

A nova taxa, batizada "taxa tóxica" vai ser aplicada a todos os veículos que não cumpram as normas europeias. nomeadamente os anteriores a 2006.

Na quarta-feira, a Comissão Europeia ameaçou cinco países, entre os quais o Reino Unido, de avançar para o Tribunal de Justiça da UE caso não tomem medidas para proteger a qualidade do ar.

Este "último aviso", que abrange 16 zonas do Reino Unido, entre os quais Londres, é lançado porque estes cinco países "não evitaram as repetidas infrações aos limites da poluição atmosférica fixados para o dióxido de azoto", refere a Comissão.

O dióxido de azoto é um poluente emitido pricipalmente pelos veículos motorizados e é muito perigoso para a saúde.

As restrições à circulação automóvel em <b>Berlim</b> existem desde 2008. A 2 de fevereiro de 2010 foi estabelecida uma "zona ecológica" no centro da cidade, onde só podem circular os veículos pouco poluentes, que têm um autocolante verde. A pouco e pouco a mesma política tem vindo a ser implementada noutras cidades alemãs. Em relação a 2007, em 2010, a concentração média de partículas PM10 (partículas em suspensão, inaláveis e com repercussões para a saúde) diminuiu em 7% e as partículas de NO2 (dióxido de azoto) em 12%.
1 / 12

As restrições à circulação automóvel em Berlim existem desde 2008. A 2 de fevereiro de 2010 foi estabelecida uma "zona ecológica" no centro da cidade, onde só podem circular os veículos pouco poluentes, que têm um autocolante verde. A pouco e pouco a mesma política tem vindo a ser implementada noutras cidades alemãs. Em relação a 2007, em 2010, a concentração média de partículas PM10 (partículas em suspensão, inaláveis e com repercussões para a saúde) diminuiu em 7% e as partículas de NO2 (dióxido de azoto) em 12%.

Reuters

Desde 2009, que <b>Bruxelas</b> tem medidas restritivas à circulação consoante os níveis de poluição atmosférica. O nível 1 (70 microgramas de partículas/m3) obriga à diminuição da velocidade máxima permitida. O nível 2 (100 microgramas) prevê a circulação alternadas e transportes públicos gratuitos. A partir do nível 3 (200 microgramas), a circulação é proibida a todos os veículos poluentes.
2 / 12

Desde 2009, que Bruxelas tem medidas restritivas à circulação consoante os níveis de poluição atmosférica. O nível 1 (70 microgramas de partículas/m3) obriga à diminuição da velocidade máxima permitida. O nível 2 (100 microgramas) prevê a circulação alternadas e transportes públicos gratuitos. A partir do nível 3 (200 microgramas), a circulação é proibida a todos os veículos poluentes.

© Sebastien Pirlet / Reuters

<b>Paris</b> impõe a circulação alternada aos automobilistas e os transportes públicos são gratuitos em dias de pico de poluição.Em janeiro de 2017 instituiu um sistema de autocolantes para os carros mais poluidores (cinzento) e menos poluidores (verde).
3 / 12

Paris impõe a circulação alternada aos automobilistas e os transportes públicos são gratuitos em dias de pico de poluição.Em janeiro de 2017 instituiu um sistema de autocolantes para os carros mais poluidores (cinzento) e menos poluidores (verde).

© Pascal Rossignol / Reuters

Desde 2003 que o centro de <b>Londres</b> é rodeado por uma portagem urbana durante a semana. A taxa é de 11,50 libras (cerca de 12 euros) e aplica-se de segunda a sexta-feira entre as 7h00 e as 18h00, com exceção para residentes e veículos pouco poluentes. Nos primeiros 5 anos desta medida, as concentrações de partículas poluentes diminuiu cerca de 3% nesta zona, na área exterior diminuiu cerca de 1%, mas não houve variações significativas na concentração de óxidos de azoto.
4 / 12

Desde 2003 que o centro de Londres é rodeado por uma portagem urbana durante a semana. A taxa é de 11,50 libras (cerca de 12 euros) e aplica-se de segunda a sexta-feira entre as 7h00 e as 18h00, com exceção para residentes e veículos pouco poluentes. Nos primeiros 5 anos desta medida, as concentrações de partículas poluentes diminuiu cerca de 3% nesta zona, na área exterior diminuiu cerca de 1%, mas não houve variações significativas na concentração de óxidos de azoto.

© Stephen Hird / Reuters

Desde 2011 que existem em <b>Lisboa</b> duas Zonas de Emissão Reduzida: no eixo Av. Liberdade/Baixa, apenas são autorizados a circular veículos posteriores a 2000, na zona envolvente ao centro apenas circulam veículos posteriores a 1996. Os bairros históricos têm acesso condicionado.
5 / 12

Desde 2011 que existem em Lisboa duas Zonas de Emissão Reduzida: no eixo Av. Liberdade/Baixa, apenas são autorizados a circular veículos posteriores a 2000, na zona envolvente ao centro apenas circulam veículos posteriores a 1996. Os bairros históricos têm acesso condicionado.

© Rafael Marchante / Reuters

Desde 1982 que existe circulação alternada de veículos poluentes em <b>Atenas</b>. A medida é suspensa entre julho e setembro, altura em que numerosos atenienses saem da capital grega para férias.
6 / 12

Desde 1982 que existe circulação alternada de veículos poluentes em Atenas. A medida é suspensa entre julho e setembro, altura em que numerosos atenienses saem da capital grega para férias.

PETROS GIANNAKOURIS / AP

Em várias grandes cidades de <b>Itália</b> existe circulação alternada, mas o sistema que predomina é o de limitação progressiva da circulação à medida que os níveis de poluição aumentam. Primeiro são proibidos os velhos veículos a diesel, depois os diesel mais novos e em seguida os velhos veículos a gasolina e os motociclos. Todos os centros históricos são "zonas de trânsito limitado", em que só podem circular os veículos com autorização paga - essencialmente habitantes e comerciantes - ou veículos elétricos.
7 / 12

Em várias grandes cidades de Itália existe circulação alternada, mas o sistema que predomina é o de limitação progressiva da circulação à medida que os níveis de poluição aumentam. Primeiro são proibidos os velhos veículos a diesel, depois os diesel mais novos e em seguida os velhos veículos a gasolina e os motociclos. Todos os centros históricos são "zonas de trânsito limitado", em que só podem circular os veículos com autorização paga - essencialmente habitantes e comerciantes - ou veículos elétricos.

Reuters

Na Dinamarca, em <b>Copenhaga</b> e outras grandes cidades, é proibida a circulação de veículos muito poluentes.
8 / 12

Na Dinamarca, em Copenhaga e outras grandes cidades, é proibida a circulação de veículos muito poluentes.

JOHN MCCONNICO / AP

Na Suécia, tanto <b>Estocolmo</b> como <b>Gotemburgo</b> têm portagens para entrar no centro da cidade.
9 / 12

Na Suécia, tanto Estocolmo como Gotemburgo têm portagens para entrar no centro da cidade.

© TT News Agency / Reuters

<b>Oslo</b> tem portagem urbana e proíbe a circulação de veículos a diesel nos dias mais poluídos. A Noruega é campeã dos veículos elétricos, graças a medidas como isenção de taxas, estacionamento gratuito, autorização de utilização de faixas de transportes públicos. Representam 15,7% das novas matrículas em 2016.
10 / 12

Oslo tem portagem urbana e proíbe a circulação de veículos a diesel nos dias mais poluídos. A Noruega é campeã dos veículos elétricos, graças a medidas como isenção de taxas, estacionamento gratuito, autorização de utilização de faixas de transportes públicos. Representam 15,7% das novas matrículas em 2016.

Reuters

A 29 de dezembro de 2016 foi imposta pela primeira vez em <b>Madrid</b> a circulação alternada devido ao pico de poluição. Desde 2015 que são impostos limites de velocidade e proibição de estacionamento no centro da cidade quando há altos níveis de poluição.
11 / 12

A 29 de dezembro de 2016 foi imposta pela primeira vez em Madrid a circulação alternada devido ao pico de poluição. Desde 2015 que são impostos limites de velocidade e proibição de estacionamento no centro da cidade quando há altos níveis de poluição.

© Paul Hanna / Reuters

Áustria (<b>Viena</b> na foto), Bulgária, Hungria, Roménia e Eslovénia não têm quaisquer medidas de restrição de circulação automóvel.
12 / 12

Áustria (Viena na foto), Bulgária, Hungria, Roménia e Eslovénia não têm quaisquer medidas de restrição de circulação automóvel.

© Heinz-Peter Bader / Reuters

  • "É muito importante que haja um cabal esclarecimento"
    0:37
  • Como se sobrevive à dor em Nodeirinho e Pobrais
    2:43
  • Madeireiros sem emprego após incêndios
    2:57
  • Chamas no concelho de Torre de Moncorvo ameaçaram aldeia
    1:30

    País

    Dois incêndios no concelho de Torre de Moncorvo deram luta aos bombeiros na tarde de ontem e também durante toda a noite. As chamas estiveram muito próximas da aldeia de Cabanas de Cima, mas os bombeiros conseguiram desviar o fogo.