sicnot

Perfil

Mundo

Londres vai taxar veículos mais poluentes

© Neil Hall / Reuters

O mayor de Londres Sadiq Khan anunciou hoje a introdução a partir de outubro de uma taxa de 10 libras (cerca de 11,7 euros) para os veículos anteriores a 2006 a circular na cidade.

"Todos os anos, mais de 90 mil londrinos morrem por causa da má qualidade do ar. A inação já não é uma opção", disse o autarca em conferência de imprensa.

A nova taxa junta-se à portagem urbana, de 11,5 libras (13,5 euros), de segunda a sexta-feira entre as 7h00 e as 18h00, com exceção para residentes e veículos pouco poluentes, existen desde 2003.

Nos primeiros 5 anos desta medida, as concentrações de partículas poluentes diminuiu cerca de 3% nesta zona, na área exterior diminuiu cerca de 1%, mas não houve variações significativas na concentração de óxidos de azoto.

A nova taxa, batizada "taxa tóxica" vai ser aplicada a todos os veículos que não cumpram as normas europeias. nomeadamente os anteriores a 2006.

Na quarta-feira, a Comissão Europeia ameaçou cinco países, entre os quais o Reino Unido, de avançar para o Tribunal de Justiça da UE caso não tomem medidas para proteger a qualidade do ar.

Este "último aviso", que abrange 16 zonas do Reino Unido, entre os quais Londres, é lançado porque estes cinco países "não evitaram as repetidas infrações aos limites da poluição atmosférica fixados para o dióxido de azoto", refere a Comissão.

O dióxido de azoto é um poluente emitido pricipalmente pelos veículos motorizados e é muito perigoso para a saúde.

As restrições à circulação automóvel em <b>Berlim</b> existem desde 2008. A 2 de fevereiro de 2010 foi estabelecida uma "zona ecológica" no centro da cidade, onde só podem circular os veículos pouco poluentes, que têm um autocolante verde. A pouco e pouco a mesma política tem vindo a ser implementada noutras cidades alemãs. Em relação a 2007, em 2010, a concentração média de partículas PM10 (partículas em suspensão, inaláveis e com repercussões para a saúde) diminuiu em 7% e as partículas de NO2 (dióxido de azoto) em 12%.
1 / 12

As restrições à circulação automóvel em Berlim existem desde 2008. A 2 de fevereiro de 2010 foi estabelecida uma "zona ecológica" no centro da cidade, onde só podem circular os veículos pouco poluentes, que têm um autocolante verde. A pouco e pouco a mesma política tem vindo a ser implementada noutras cidades alemãs. Em relação a 2007, em 2010, a concentração média de partículas PM10 (partículas em suspensão, inaláveis e com repercussões para a saúde) diminuiu em 7% e as partículas de NO2 (dióxido de azoto) em 12%.

Reuters

Desde 2009, que <b>Bruxelas</b> tem medidas restritivas à circulação consoante os níveis de poluição atmosférica. O nível 1 (70 microgramas de partículas/m3) obriga à diminuição da velocidade máxima permitida. O nível 2 (100 microgramas) prevê a circulação alternadas e transportes públicos gratuitos. A partir do nível 3 (200 microgramas), a circulação é proibida a todos os veículos poluentes.
2 / 12

Desde 2009, que Bruxelas tem medidas restritivas à circulação consoante os níveis de poluição atmosférica. O nível 1 (70 microgramas de partículas/m3) obriga à diminuição da velocidade máxima permitida. O nível 2 (100 microgramas) prevê a circulação alternadas e transportes públicos gratuitos. A partir do nível 3 (200 microgramas), a circulação é proibida a todos os veículos poluentes.

© Sebastien Pirlet / Reuters

<b>Paris</b> impõe a circulação alternada aos automobilistas e os transportes públicos são gratuitos em dias de pico de poluição.Em janeiro de 2017 instituiu um sistema de autocolantes para os carros mais poluidores (cinzento) e menos poluidores (verde).
3 / 12

Paris impõe a circulação alternada aos automobilistas e os transportes públicos são gratuitos em dias de pico de poluição.Em janeiro de 2017 instituiu um sistema de autocolantes para os carros mais poluidores (cinzento) e menos poluidores (verde).

© Pascal Rossignol / Reuters

Desde 2003 que o centro de <b>Londres</b> é rodeado por uma portagem urbana durante a semana. A taxa é de 11,50 libras (cerca de 12 euros) e aplica-se de segunda a sexta-feira entre as 7h00 e as 18h00, com exceção para residentes e veículos pouco poluentes. Nos primeiros 5 anos desta medida, as concentrações de partículas poluentes diminuiu cerca de 3% nesta zona, na área exterior diminuiu cerca de 1%, mas não houve variações significativas na concentração de óxidos de azoto.
4 / 12

Desde 2003 que o centro de Londres é rodeado por uma portagem urbana durante a semana. A taxa é de 11,50 libras (cerca de 12 euros) e aplica-se de segunda a sexta-feira entre as 7h00 e as 18h00, com exceção para residentes e veículos pouco poluentes. Nos primeiros 5 anos desta medida, as concentrações de partículas poluentes diminuiu cerca de 3% nesta zona, na área exterior diminuiu cerca de 1%, mas não houve variações significativas na concentração de óxidos de azoto.

© Stephen Hird / Reuters

Desde 2011 que existem em <b>Lisboa</b> duas Zonas de Emissão Reduzida: no eixo Av. Liberdade/Baixa, apenas são autorizados a circular veículos posteriores a 2000, na zona envolvente ao centro apenas circulam veículos posteriores a 1996. Os bairros históricos têm acesso condicionado.
5 / 12

Desde 2011 que existem em Lisboa duas Zonas de Emissão Reduzida: no eixo Av. Liberdade/Baixa, apenas são autorizados a circular veículos posteriores a 2000, na zona envolvente ao centro apenas circulam veículos posteriores a 1996. Os bairros históricos têm acesso condicionado.

© Rafael Marchante / Reuters

Desde 1982 que existe circulação alternada de veículos poluentes em <b>Atenas</b>. A medida é suspensa entre julho e setembro, altura em que numerosos atenienses saem da capital grega para férias.
6 / 12

Desde 1982 que existe circulação alternada de veículos poluentes em Atenas. A medida é suspensa entre julho e setembro, altura em que numerosos atenienses saem da capital grega para férias.

PETROS GIANNAKOURIS / AP

Em várias grandes cidades de <b>Itália</b> existe circulação alternada, mas o sistema que predomina é o de limitação progressiva da circulação à medida que os níveis de poluição aumentam. Primeiro são proibidos os velhos veículos a diesel, depois os diesel mais novos e em seguida os velhos veículos a gasolina e os motociclos. Todos os centros históricos são "zonas de trânsito limitado", em que só podem circular os veículos com autorização paga - essencialmente habitantes e comerciantes - ou veículos elétricos.
7 / 12

Em várias grandes cidades de Itália existe circulação alternada, mas o sistema que predomina é o de limitação progressiva da circulação à medida que os níveis de poluição aumentam. Primeiro são proibidos os velhos veículos a diesel, depois os diesel mais novos e em seguida os velhos veículos a gasolina e os motociclos. Todos os centros históricos são "zonas de trânsito limitado", em que só podem circular os veículos com autorização paga - essencialmente habitantes e comerciantes - ou veículos elétricos.

Reuters

Na Dinamarca, em <b>Copenhaga</b> e outras grandes cidades, é proibida a circulação de veículos muito poluentes.
8 / 12

Na Dinamarca, em Copenhaga e outras grandes cidades, é proibida a circulação de veículos muito poluentes.

JOHN MCCONNICO / AP

Na Suécia, tanto <b>Estocolmo</b> como <b>Gotemburgo</b> têm portagens para entrar no centro da cidade.
9 / 12

Na Suécia, tanto Estocolmo como Gotemburgo têm portagens para entrar no centro da cidade.

© TT News Agency / Reuters

<b>Oslo</b> tem portagem urbana e proíbe a circulação de veículos a diesel nos dias mais poluídos. A Noruega é campeã dos veículos elétricos, graças a medidas como isenção de taxas, estacionamento gratuito, autorização de utilização de faixas de transportes públicos. Representam 15,7% das novas matrículas em 2016.
10 / 12

Oslo tem portagem urbana e proíbe a circulação de veículos a diesel nos dias mais poluídos. A Noruega é campeã dos veículos elétricos, graças a medidas como isenção de taxas, estacionamento gratuito, autorização de utilização de faixas de transportes públicos. Representam 15,7% das novas matrículas em 2016.

Reuters

A 29 de dezembro de 2016 foi imposta pela primeira vez em <b>Madrid</b> a circulação alternada devido ao pico de poluição. Desde 2015 que são impostos limites de velocidade e proibição de estacionamento no centro da cidade quando há altos níveis de poluição.
11 / 12

A 29 de dezembro de 2016 foi imposta pela primeira vez em Madrid a circulação alternada devido ao pico de poluição. Desde 2015 que são impostos limites de velocidade e proibição de estacionamento no centro da cidade quando há altos níveis de poluição.

© Paul Hanna / Reuters

Áustria (<b>Viena</b> na foto), Bulgária, Hungria, Roménia e Eslovénia não têm quaisquer medidas de restrição de circulação automóvel.
12 / 12

Áustria (Viena na foto), Bulgária, Hungria, Roménia e Eslovénia não têm quaisquer medidas de restrição de circulação automóvel.

© Heinz-Peter Bader / Reuters

  • Militares tentam acabar com guerra entre traficantes na Rocinha, Rio de Janeiro
    3:07

    Mundo

    As últimas horas têm sido de tensão no Rio de Janeiro depois dos tiroteios que começaram desde que uma das principais favelas da cidade foi ocupada por militares na sexta-feira. As forças federais foram acionadas para auxiliarem a polícia, que há vários dias tenta acabar com a guerra entre fações de traficantes de droga.

  • Irão lança míssil de médio alcance
    1:13

    Mundo

    Três dias depois do discurso hostil de Donald Trump nas Nações Unidas, o Irão testou um novo míssil de médio alcance que atingiu uma altura de dois mil quilómetros. Teerão diz que o teste não viola o acordo nuclear.

  • Trump renovou as ameaças à Coreia do Norte
    1:30
  • Guterres apela à Coreia do Norte para cumprir resoluções

    Mundo

    O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, apelou este sábado ao ministro do Exterior da Coreia do Norte, Ri Yong Ho, para o cumprimento das resoluções que o Conselho de Segurança impôs ao país em resposta à sua escalada armada.

  • Atrás das Câmaras em Pedrógão Grande
    3:37
    Atrás das Câmaras

    Atrás das Câmaras

    DIARIAMENTE NA SIC E SIC NOTÍCIAS

    A carrinha do "Atrás das Câmaras" continua pelo país a mostrar aquilo que alguns políticos ignoram. Este sábado a equipa da SIC esteve em Pedrógão Grande, 99 dias após o incêndio que fez 64 mortos e 200 feridos.

  • Morreu Charles Bradley, uma das lendas do soul

    Cultura

    O cantor Charles Bradley morreu este sábado aos 68 anos. O músico norte-americano foi diagnosticado com cancro no ano passado. A notícia da morte foi confirmada na página oficial do cantor no Facebook.